Você ainda precisa de um computador!

Conforme a tecnologia avança, todas as coisas ao nosso redor tornam-se “computadores”: seu celular virou smartphone, sua TV virou uma smartTV, carros inteligentes (smart cars) já não são mais novidades e é bem provável que até a sua pipoqueira esteja rodando Android e permita a instalação de aplicativos e jogos. Certo, exagerei, mas acho que você entendeu onde eu quero chegar.

E quanto mais tudo ao nosso redor vira “computador”, menos usamos computadores (no caso, refiro-me a notebooks e desktops). Este website, por exemplo, hoje recebe mais acessos a partir de smartphones do que de computadores convencionais. Mas nem por isso devemos negligenciar a importância de computadores – e é sobre isso que quero falar com vocês, mas primeiro, vamos entender por que computadores estão cada vez mais em desuso.

Por que usamos menos computadores?

Um dos principais motivos para estarmos usando mais nossos smartphones e smartTVs para desempenhar tarefas que antes fazíamos com nossos computadores é a questão da praticidade: por que eu deveria assistir Netflix em meu PC, quando basta ligar a televisão e já escolher o filme ou seriado? por que eu preciso ligar meu computador e efetuar uma pesquisa na Internet quando posso realizá-la diretamente do meu celular que está aqui, em meu bolso, comigo no sofá?

Aliada à praticidade, temos a questão de mobilidade: nossos smartphones vão conosco para todos os lugares, assim, se eu preciso pesquisar algo ou acessar algum aplicativo, basta pegá-lo e usá-lo – não preciso mais anotar ou lembrar daquela tarefa até chegar em casa e poder realizá-la em meu PC.

Claro, há muitos outros fatores envolvidos – inclusive alguns emocionais – mas a verdade é que utilizamos mais nossos smartphones, smartTVs e outros dispositivos para dempenhar tarefas que antes fazíamos em um desktop ou notebook por tornarem nossas vidas ainda mais fáceis.

Entretanto, tudo vem a um custo. Conheço pessoas que “investem” em celulares (inclusive trocando a cada dois ou três anos) mas não investem em um computador (que poderia durar muito bem 05 anos ou mais com a devida manutenção. Este PC que uso agora para escrever, por exemplo, foi comprado originalmente em 2009, se bem me lembro. De lá para cá, já passou por manutenções e melhorias, mas posso garantir que seu custo-benefício valeu e muito a pena.

Infelizmente, às vezes é bem difícil convencer as pessoas sobre o porquê de ser tão importante ter um computador em casa, então decidi escrever este texto e apontar alguns pontos que ficaram bastante evidentes para mim, principalmente neste período de distanciamento/isolamento social.

Por que precisamos mais de computadores?

Quem já acompanha o blog há mais tempo sabe que gosto de analisar o uso de ferramentas que podem realmente contribuir com melhorias em nosso dia-a-dia – principalmente se isso puder ser revertido em benefícios financeiros ao seu usuário. Pois bem, que tal analisarmos com calma momentos em que um computador (seja ele desktop ou notebook) apresenta melhor retorno do que o uso de outros dispositivos?

Se você estuda, sabe que pode assistir videoaulas e responder questionários no celular, o que é ótimo como uma estratégia de emergência, um “plano B”, para aqueles momentos em que não possui um computador por perto. Mas, se você tiver à sua disposição um computador, perceberá que pode conseguir melhor benefício se utilizar todos os recursos destes. Quer ver só? Minha esposa e eu, quando estudamos cursos online, costumamos dividir a tela ao meio (fácil de fazer no Windows, basta arrastar as janelas desejadas para os respectivos lados) mantendo do lado esquerdo a plataforma com as videoaulas e do lado direito uma ferramenta para anotações (como já disse aqui, costumo usar o WorkFlowy). E para quem vai criticar tal estratégia para estudos, já vão aqui algumas respostas:

  • “Precisa ter uma tela muito grande para dividir em duas” – realmente, eu uso um monitor 32″ e me sinto muito mais confortável assim, mas a minha esposa usa um notebook com 15.6″ de tela, então não precisa de tela muito grande para tal (mas não vai conseguir em um smartphone);
  • “A claridade/iluminação da tela prejudica a minha visão” – bem, a maioria das ferramentas hoje já possuem modo noturno/escuro, então basta ativá-lo (no WorkFlowy, por exemplo, sempre uso o modo noturno, mudando para o padrão somente quando vou imprimir algo de lá);
  • “Prefiro escrever no caderno, aprendo muito melhor” – você lembra de alguma vez em que precisou procurar alguma coisa no caderno e não encontrou? Ou quis revisar o assunto e ficou um pouco perdido em meio a tantos textos e marcações? Ou precisou corrigir algo que escreveu e terminou com um monte de corretivo em suas páginas? Pois é, usando uma ferramenta de anotações que permita busca e filtragem de conteúdos, você consegue não somente encontrar as informações que deseja como pode filtrar para somente exibir aquilo que deseja revisar. Ah, e não precisa de corretivo, basta editar o conteúdo!

Só para dar um exemplo: aqui em casa somos três pessoas a usar três computadores (dois desktops e um notebooks) e todos precisamos dos mesmos para estudos. Eis que, para o nosso azar, dois deles deram problema e foram para a manutenção – nem preciso dizer como está uma loucura para três pessoas dividirem um computador, quando todos precisam para estudar, trabalhar, divertir-se, informar-se etc. (e foi daqui que partiu a ideia de escrever este artigo!)

Se você trabalha, neste momento deve estar utilizando ainda mais seu computador (ou celular) para coisas como:

  • Verificar os e-mails de trabalho;
  • Verificar relatórios na plataforma do trabalho (se for uma escola, o ambiente acadêmico; se for uma loja, a plataforma de gestão das vendas; se for uma agência de marketing, as ferramentas para criação e publicação de conteúdo etc.);
  • Comunicar-se com os superiores, subordinados e demais colegas de trabalho;
  • Executar o trabalho em si de forma remota (áreas como ensino, vendas, marketing, consultoria etc. oferecem essa oportunidade);
  • Buscar outras informações importantes (análise de competidores, notícias sobre o mercado, gestão das expectativas dos clientes, marketing etc.).

E isso só para listar algumas! Sim, eu sei que nem todas as profissões lidam com o mesmo nível de facilidade com tarefas de forma remota, mas eu não sou o primeiro (e com certeza não serei o último) a defender que cada vez mais teremos mudanças bruscas em como o trabalho funciona e quais oportunidades estarão disponíveis. Assim, ter um computador é ainda mais essencial para que você se prepare para esse futuro (como vou expor no próximo ponto).

Se você busca aperfeiçoar-se seja para o emprego atual ou visando uma futura realocação, assim como quando falei para quem estuda, o uso de desktops e notebooks podem tornar sua vida muito mais fácil e organizada, oferecendo-lhe ferramentas para organizar tudo. Quer ver só algumas dicas para quem usa um computador para estudar (e que são um pouco mais complicadas de implementar em um smartphone)?

  • Use seu navegador como sua “central para estudos” – como a maioria dos cursos hoje são distribuídos online, você pode salvar um atalho para as plataformas ou páginas dos cursos em seu navegador por meio dos favoritos, tornando bem mais fácil o acesso aos mesmos;
  • Organize os favoritos no navegador para facilitar o acesso – que tal criar uma pasta (“CURSOS”, por exemplo) para armazenar todos os favoritos referentes a cursos? E se dentro dela criássemos uma pasta para cada curso (“LÍNGUA INGLESA”)? E se dentro da pasta de cada curso eu salvasse os favoritos ou até mesmo organizasse segundo algum critério em novas pastas (“APOSTILAS”, “AUDIOBOOKS”, “CANAIS NO YOUTUBE” etc.)? Não ficaria tudo mais organizado para acessar? (obs: na maioria dos navegadores, você pode clicar em uma pasta de favoritos e solicitar que abra todos ali presentes de uma vez só no navegador, o que é muito útil quando criando um ambiente de estudos ou de trabalho virtual)
  • Mantenha nos favoritos ferramentas para anotação (eu uso WorkFlowy!), gestão do tempo (Toggl!) e bloqueio de distrações (extensão StayFocusd do Chrome), tornando assim mais fácil bloquear distrações, gerenciar como você usa seu tempo e reunir informações em um lugar só;
  • Precisa desligar o PC mas não quer perder todas as abas que estão abertas? Fácil, tenha uma pasta de favoritos “SESSÕES” e salve dentro da mesma uma pasta com a data atual (“2020-06-12”, por exemplo) contendo favoritos para todas as abas atuais (no Chrome, mudaram recentemente a forma de “Adicionar todas as guias ao favoritos”, agora é por meio de uma opção com esse nome que aparece quando você clica com botão direito na barra do topo, não mais nas abas). (obs: só tome cuidado para não acabar virando um acumulador digital – igual a mim! – e ter um zilhão de pastas de favoritos de sessões e não ter tempo para revisá-las!)

Obs: Essas dicas, com os devidos ajustes, servem também para facilitar sua rotina de trabalho, tornando assim o seu navegador a plataforma perfeita para atender necessidades de lazer, comunicação, trabalho educação etc.

E se você se preocupa com seu bolso, entenda que “investir em um celular” só é investimento se você já investiu em um bom computador e os usa realmente para estudos e trabalho! Vejo muita gente trocando de celular com tal frequência que a desculpa de “não tenho dinheiro para um computador” já não “cola” mais! Como afirmei lá em cima, um computador com a devida manutenção possui um retorno sobre investimento (ROI) e retorno sobre experiência (ROE – termo que aprendi lendo Opportunity, de Eben Pagan) maior do que o celular.

Claro, você não vai deixar de usar seu smartphones para pesquisar vídeos de gatinhos e acessar o Facebook! Mas entenda que há certas tarefas que exigem um ambiente mais ergonômico e que talvez o celular não seja o mais adequado para tais, ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *