Vamos falar sobre negócios?

Alguns de vocês devem lembrar do artigo Problemas nos negócios? Vamos conversar! que publiquei aqui em 4 de outubro de 2010 e que tinha por objetivo responder a comentários de outro artigo nosso. Pois bem, hoje estaremos respondendo mais uma vez a comentários. 😉

Negócios são realmente um tema muito intrigante – todos nós vemos que em um emprego nosso crescimento é ditado pelo crescimento do salário, que é bastante “amarrado”, mas ao mesmo tempo sabemos que criar nosso próprio negócio pode ser bastante arriscado e estressante. E agora, o que fazer?

Bem, alguns de nossos leitores decidiram arriscar e criar seus próprios negócios, outros pretendem fazê-lo e desejam alguma opinião sobre o assunto. Bem, nada mais justo, então, que dediquemos alguma atenção a seus problemas agora, não?

Mas chega de tanta conversa! Já falamos demais, vamos agora partir para os comentários! 😉

Que tipo de empreendimento posso desenvolver?

O primeiro comentário é de nosso amigo Glauco, que diz o seguinte:

Bom dia meu amigo. Estou a algum tempo planejando dar início a um empreendimento on line, porém, existem realmente dúvidas a respeito de um empreendimento sólido e constante pela Internet. Gostaria de algum comentário seu a este respeito, pois, até o momento, você me parece uma pessoa com vasto conhecimento neste ramo de negócios.
Li os comentários anteriores e achei muito bom. agradeço de antemão pelo retorno oportuno destas duvidas. Muito obrigado!

Olá Glauco! Antes de mais nada, parabéns pelo interesse de desenvolver um negócio online sólido – como já deve ter percebido pelos meus artigos, há geralmente dois jeitos de ganhar dinheiro na Internet, um por meio de negócios sólidos, que desenvolvam um bom relacionamento com o cliente, e outro por meio de atividades que nem chamo de negócios, geralmente baseadas em enganações e que funcionam como “castelos de areia”, que apesar de serem rápidos de criar, acabam por desmoronar cedo ou tarde.

Percebo que o que pode estar lhe faltando é a certeza do que fazer. Há vários tipos de empreendimento online e você precisa ser cuidadoso em analisar cada um deles  e escolher aquele que melhor lhe convém. Não posso chegar e dizer “ah, você deveria desenvolver um site para reforço escolar online!”, pois não sei se esse é o tipo de empreendimento certo para você.

O que posso é lhe passar algumas orientações sobre como escolher o tipo de negócio que melhor se adequa aos recursos de que dispõe:

  • A Internet tem se mostrado uma mina de ouro para muitos tipos de empreendimentos… Alguns dos que mais fazem sucesso atualmente são: lojas virtuais (e-commerce está cada vez mais em alta!) sejam elas de diversos produtos (como Americanas.com) ou bem específicas (como sexy shops), educação à distância (você pode atuar por meio de cursos livres como desenho e ilustração, técnicas de programação, etc. ou reforço escolar online, como citei no exemplo), websites e blogs especialistas em certos produtos (onde podemos ter programas de afiliados ou redes de anúncios) ou em certos assuntos (onde também podemos ter programas de afiliados e redes de anúncios, mas também podemos incluir serviços para assinantes com conteúdo e ferramentas exclusivas) e serviços de consultoria, desenvolvimento e afins que possam ser desenvolvidos por meio da Internet. Veja bem, cada um desses tipos de negócios pode ser analisado e escolhido um determinado subramo. Aconselho a primeiro analisá-los de forma genérica (custos envolvidos – montante inicial e capital de giro – , pessoal necessário, ferramentas a serem utilizadas, que tipos de conhecimentos são essenciais, como o dinheiro pode entrar no negócio, etc.) e depois de escolher um dos quatro, aí sim aprofundar-se e escolher um subramo. Lembrando novamente que há outras oportunidades igualmente boas na web, estas são somente, em minha opinião, as quatro que mais se destacam e devem ganhar ainda maior notoriedade neste ano e nos próximos!
  • Compreenda que todo negócio envolve capital financeiro (dindin, money, “faz-me-rir” 🙂 ), capital humano (você mesmo ou contratação de terceiros) e tempo para se desenvolver. Geralmente negócios que vendem produtos tendem a ter ganhos iniciais maiores, porém podem ter uma infra-estrutura mais cara. Por experiência própria, sei que o desenvolvimento de websites e blogs focando a exposição de anúncios e publicidades podem requerer um investimento menor, também podem tomar bem mais tempo para conseguir um faturamento que lhe agrade. Analise cada oportunidade em seus prós e contras e esteja ciente de que é impossível a tão sonhada fórmula: “um negócio que custa nada para criar, não precisa de ninguém e que ganha rios de dinheiro enquanto estou dormindo!”;
  • Esteja disposto a estar sempre atualizando-se! A Internet é um ambiente bastante dinâmico, muda fácil. Por vezes, ainda vemos donos de lojas virtuais que não trabalham sua marca junto com o cliente e que não desenvolvem estratégias de SEM para os seus websites e depois reclamam que estão perdendo novos clientes para a concorrência. Esteja sempre atento a tudo o que está acontecendo ao redor, principalmente àquilo que fontes sérias estão citando como “tendências” – algumas delas realmente se consolidarão e outras não passarão de “muito blá blá blá”. Na dúvida, deixe um comentário aqui e tentaremos respondê-lo tão breve quanto for possível. 😉

Bem, Glauco. Faça o seguinte: leia com calma tudo o que escrevi aqui e tire duas ou três tardes para estudar com calma as várias possibilidades e tentar mensurar os gastos e tempo necessário para cada uma delas. Depois disso, aprofunde-se em uma e comece o seu próprio empreendimento, ok?

Problemas no modelo de negócio?

Nosso amigo Vinicius Peixoto escreveu um grande comentário (no sentido de qualidade, mas também de quantidade de palavras! 😀 ) de tal forma que fica difícil copiar e colar aqui, vou então tentar escrever um resumo do que ele falou:

Olá Christiano, possuo uma empresa de distribuição, contando com três vendedores comissionados. Meu atual problema é a alta inadimplência e elevado número de parcelas que o mercado nos impõe, o que nos leva a muitas vezes não conseguir fechar as contas do mês, precisando assim de algum empréstimo de meu pai para superar os momentos baixos. Infelizmente a situação vem se agravando e não sei qual pode ser a melhor solução. Estou atualmente incentivando as vendas à vista com descontos a fim de reduzir a inadimplência. Alguma sugestão?

Antes de mais nada, é um prazer conhecê-lo, Vinicius, agora vamos ao seu problema.

Acredito que o desconto para pagamentos à vista é uma excelente opção para ajudar a reduzir a inadimplência, mas talvez você também precise criar certos diferenciais para atrair os clientes de maior qualidade para o seu ramo (isto é, aqueles que possuem menor inadimplência justamente por terem uma postura séria, como aquela que esperam de sua empresa). Tais diferenciais, claro, dependem do tipo de atuação e das expectativas dos clientes.

No início, pensei que se tratasse de uma empresa da área de logística, isto é, distribuição de mercadorias de uma empresa varejista para o consumidor final. Agora, graças ao Google, na verdade sei que não se trata disso, mas sim de uma representação comercial, não é mesmo? Bem, como eu já havia escrito um bocado aqui para uma empresa da área de logística (Google 1 x 0 Christiano), então vou publicar um pouco para ambos os casos, ok?

A área de logística deve ser um ramo bem difícil para atuar, pois seus clientes são outras empresas e você concorre diretamente com outras empresas do mesmo ramo que o seu e a localização geográfica influencia muito nas decisões. Aqui estão alguns possíveis diferenciais:

  • Um sistema via web onde a empresa e o cliente da mesma (ou loja onde deve ser feita a entrega) possa identificar como se encontra o transporte de cada produto em um nível mais detalhado do que geralmente é perceptível em outras empresas de logística;
  • Sistema de notificação ou agendamento por telefone (várias operadoras telefônicas oferecem hoje pacotes com ligações ilimitadas fixo para fixo, o que facilita isso) da entrega de cada produto.

Já no caso da atuação como uma representação comercial, depende muito do ramo comercial que você representa (alimentício? farmacêuticos?) para determinar quais diferenciais você pode criar. Talvez entrando em contato com os interessados nas duas “pontas” (no caso, as empresas que você representa e as empresas para as quais você vende) você encontre um meio de trazer novas vantagens que justifiquem aos clientes o pagar a vista devido a benefícios conquistados.

Infelizmente, desconheço o tipo de produto que você representa (você pode me falar mais sobre isso por email, ok?) e não conheço muito do ramo, então não sei quais diferenciais podem ser criados, mas como disse, nesses casos, sempre é uma boa ideia entrar em contato com o cliente e buscar compreender melhor suas expectativas, talvez haja algo fácil de ser implantado que possa significar uma grande diferença para ele!

O desaparecido

Cornelius agradeceu-nos por nosso trabalho aqui, mas acho que não tenho visto novos comentários dele. Acho que ele está muito ocupado. Terminou sua graduação, não foi? Em que está empenhando-se agora, uma pós, um curso na área de investimentos ou desenvolvendo um novo negócio? Pode falar, não tenha medo não. 😉

Eu, por exemplo, estou pretendendo cursar uma pós na área de Gestão em Negócios ou Marketing. Acredito que isso me ajudará muito, principalmente a poder oferecer um apoio mais sólido a todos aqui no blog. 🙂

Iniciante em administração

E o último comentário de hoje (que bom, pois até agora o artigo já possui cerca de 1550 palavras! Ufa!) é de Augusto. Ele diz o seguinte:

Olá, meu pai está abrindo dois negócios, uma padaria e um mercadinho pelo que entendi. Gostaria de ajudá-lo na administração e tenho algumas dúvidas, sendo a principal o preço de venda. Se puder gostaria de bater um papo contigo, via msn ou algo do tipo. Aguardo resposta.

Abraço.

Bem, seja bem-vindo ao Clube do Dinheiro, Augusto. Quanto ao bate-papo no MSN, adoraria, mas o tempo ultimamente se encontra tão curto que o único tempo em que estou disponível no GTalk (é o messenger que uso atualmente) é só quando estou em meu trabalho e geralmente bastante ocupado. Mas podemos tentar, sim, agendar um horário para conversar, se tiver interesse, envie-me um email mais tarde e tentarei responder tão rápido quanto eu puder, ok? E vamos aos negócios!

Fico feliz em ver seu interesse em ajudar o seu pai. Uma das coisas que mais admiro são os negócios familiares de sucesso, onde pessoas da mesma família tentam unir-se em um mesmo empreendimento, visando um mesmo objetivo. Minha rede de blogs, por exemplo, pode ser considerada um empreendimento familiar, pois nasceu do meu empenho aliado ao de minha esposa, entretanto nós dois sabemos que ela possui maior paixão por venda de semijoias (o mais recente negócio que iniciamos – e que até agora não havia comentado aqui, desculpem-me XD).

Somos ainda “bebês” nisso, vendendo somente em nossa própria cidade (e por enquanto, ainda sem website para expor catálogo online), mas sabemos que podemos ir longe, principalmente porque possíveis altos e baixos desse negócio não afetarão nosso “caixa conjunto”. Bem, mas enfim, vamos falar do seu negócio, não do meu (desculpem-me, foi a empolgação 🙂 ).

Em ambos os casos, a qualidade do atendimento e do produto entregue ao cliente é, sem dúvida alguma, o principal diferencial. Na verdade, em todo negócio sólido qualidade é importante! Entretanto, nós todos sabemos que qualidade custa dinheiro, sendo assim, o “jogo” é oferecer a melhor qualidade possível dentro do custo e lucro esperados.

Ambos são negócios em que a localização é extremamente importante! O seu primeiro passo, então, pode ser consultar padarias e mercadinhos de sua área e analisar:

  • Preços praticados pelos mesmos;
  • Produtos e serviços oferecidos neles;
  • Opinião de seus clientes acerca de produtos, serviços e preços de seus concorrentes – isso mesmo, na “cara de pau”, de forma educada aborde um dos clientes que já estão saindo da loja, comente rapidamente sobre a padaria / mercadinho de vocês e diga que muito lhe interessaria saber a opinião dele sobre a compra que acabou de fazer, o que gostou e o que não gostou. Procure também saber se eles gostaram do atendimento oferecido lá. Isso tudo não deveria tomar mais que um minuto e meio!

Lembrando também que clientes gostam de qualidade e diversidade de produtos. Em outras palavras, não adianta mostrar na prateleira uma única marca de um produto e esperar que o cliente a compre, pelo contrário, ele poderá ter uma má impressão de seu estabelecimento.

Procure também junto ao SEBRAE ou SESC se não há cursos à distância (em livro, DVD, etc.) sobre administração de mercados, panificadoras ou lojas em geral. Algum tempo atrás vi uma vasta coleção deles sobre isso, obviamente você não irá adquirir todos, mas tão somente aqueles que são realmente do seu interesse.

Ah, e por falar em cursos do SEBRAE, o mesmo possui um curso à distância sobre planejamento financeiro para empresas, o mesmo é bem fácil de entender e pode ajudá-los muito a “fechar as contas” todo mês, algo que é com certeza muito importante para qualquer negócio!

Ufa! Este artigo ficou com quase 2200 palavras, mas acho que valeu a pena, deu para falar sobre muita coisa.

Amigo leitor, possui alguma dúvida? E então… Vamos falar sobre negócios? 😉

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *