Técnicas de SEO – parte 4

E aqui vamos ao quarto artigo sobre técnicas de SEO, técnicas estas que você poderá (e deverá, na verdade) aplicar em seus negócios na web a fim de ganhar dinheiro na Internet. Nos artigos anteriores, nós vimos a importância do SEO para os negócios na web bem como técnicas on-page e off-page, hoje gostaria de falar sobre cinco erros que as pessoas mais cometem quando planejam sua estratégia de otimização.

Técnicas white hat, black hat e gray hat

Resumidamente, o mais importante a se evitar são as técnicas black hat e se possível as gray hat. Você deve estar estranhando esses termos, sendo assim, antes de prosseguirmos, vamos descrever cada um dos mesmos, ok?

Técnicas white hat – tratam-se das técnicas recomendadas como boas práticas de otimização, indicadas pelos mecanismos de busca. Quando você emprega as técnicas white hat, você está deixando bem claro de que se trata o seu artigo (destacando bem as palavras-chave no mesmo, por exemplo) sem tentar manipular sua posição no ranking dos mecanismos de busca. Tais técnicas tomam mais tempo para conseguir alcançar boas posições no ranking, mas são mais duráveis, pois uma vez que você faz somente aquilo que é considerado certo você não corre o risco de ser punido com uma exclusão de seu website dos mecanismos de busca, por exemplo.

Técnicas black hat – tratam-se de técnicas não recomendadas pelos motores de busca, resultantes da observação de como os mesmos fazem os cálculos para posicionamento em ranking e aplicação de estratégias capazes de melhorar seu posicionamento de forma forçada. Motores de busca não gostam disso, pois além de não gostarem de ser enganados, sabem que isso levará o usuário que fizer uma consulta a um website que pode não lhe ser interessante, o que prejudica o seu modelo de negócio – logo, eles punem tais websites. A punição pode ser a redução de seu ranking à exclusão do website dos resultados de sua busca. E confie em mim: você não vai querer que o seu website seja excluído dos resultados do Google Search, uma das principais fontes de tráfego orgânico que seu website pode ter!

Técnicas gray hat – como o próprio nome sugere, são técnicas que estão em um nível intermediário entre as anteriores. Apesar de não serem passíveis de punição por não serem claramente violações, devem ser usadas com certa cautela, pois elas podem vir a serem consideradas black hat a qualquer momento, levando seu website a ser punido. Como disse, não são proibidas, logo podem ser empregadas, mas o faça de forma inteligente para que saiba como melhor reagir caso necessite.

Bem, agora que já esclarecemos esses termos, vamos ver quais são os cinco erros que você não deve cometer (geralmente ligados às técnicas black hat ou gray hat) em sua estratégia de SEO?

Cinco erros que você não deve cometer!

Erro #1 – Prática de link farming

Como dissemos no artigo anterior, backlinks são muito importantes, o que nos leva a técnicas de link building para tentar conseguir bons backlinks. Um problema com isso é que alguém teve a ideia de praticar o que se conhece como link farming, uma técnica onde se publicam várias dezenas (geralmente cem ou mais) de links externos em algumas páginas a fim de aumentar o page rank e número de backlinks delas.

Esta é uma tentativa clara de interferir no cálculo do ranking das pesquisas, isto é, uma técnica black hat, e não demorou muito para que a resposta dos motores de busca viessem: a partir de agora, não somente tais links são desconsiderados nos cálculos, mas se for perceptível que os websites linkados também praticam link farming em algumas de suas páginas ou que apontam para páginas contendo link farms, tais websites serão marcados como contendo técnicas black hat, sendo excluídos dos resultados das buscas, sem aviso prévio.

Se você pratica link farming e ainda não foi identificado, recomendo-lhe que corrija isso o quanto antes – a cada dia que passa, os algoritmos dos motores de busca estão melhores, identificando tais práticas e, uma vez punido, levará ao quase um mês para que tudo se resolva.

Erro #2 – Uso exagerado de links internos (Prática de internal link spamming)

Aqui está um exemplo de técnica gray hat que, agora, passa a ser considerada black hat. Link spamming é toda técnica que visa melhorar o posicionamento de uma página por meio da manipulação da quantidade de páginas que apontam para ela por meio de algum link. Link farming é uma técnica de link spamming que se utiliza de links externos, isto é, links para outros websites, mas não é a única. Nós podemos ter link spamming também por meio de uso exagerado de links internos.

A quantidade máxima de links internos permitida em uma página é uma incógnita, mas acreditamos que varie de acordo com a quantidade de conteúdo e autoridade da página. Sendo assim, páginas com pouco conteúdo e não muito bem posicionadas devem evitar o uso de muitos links internos pois, apesar de serem interessantes para dizer aos motores de busca quais páginas há em seu domínio e qual o assunto de cada um deles, poderá ser confundido com um link spamming, podendo então ser punido.

Divulgue em seu espaço as 10 ou 20 páginas mais acessadas ou mais importantes em seu domínio, mas cuidado para não se empolgar e querer publicar 40, 60 ou 100 links internos!

Erro #3 – Parcerias para trocas de links

Algo que muitos websites, principalmente blogs têm praticado é a criação de parcerias para trocas de links.

Nesse tipo de parceria, cada website linka para o outro, o que até pouco tempo atrás era bom, pois levava ambos a “rankearem” melhor nos motores de busca.

Hoje, esta técnica gray hat (que até algum tempo atrás ainda estava em discussão se era uma técnica white hat ou gray hat) é muito bem identificada e “desarmada” pelo Google, que simplesmente desconsidera tais links. Sim, se o Google perceber que o website A aponta para o website B e este aponta para o primeiro, aqueles links não contarão. Eu sei, tive alguns blogs meus prejudicados por isso. 🙁

Como disse, o Google simplesmente não contará tais links para o cálculo da autoridade daquele website, não o punindo por isso, mas se a quantidade de parceiros for grande, ele poderá considerar como sendo uma estratégia de link farming, dando-lhe motivos para a sua exclusão, sendo assim, tome cuidado com isso!

Erro #4 – Uso de ferramentas auto-content

Um outro erro que parece ter “virado mania” é a geração de conteúdo de forma automática a partir de ferramentas “auto content”. Tais ferramentas podem criar conteúdo de diversas formas diferentes:

  • Geração de frases aleatórias a partir de um conjunto de palavras-chave;
  • Varredura de resultados de busca procurando frases que se utilizem das palavras-chave ou expressões relacionadas;
  • Publicação de feeds RSS analisados.

Todo cuidado é pouco aqui, pois aquilo que hoje os motores de busca não perceberem como sendo conteúdo gerado automaticamente, amanhã pode ser descoberto, levando o website a grandes problemas.

Em minha opinião, ferramentas auto content deveriam ser empregadas somente como forma de gerar a informação inicial que servirá como base para a confecção de novo artigo ou página, ou seja, um usuário humano ainda lerá seu conteúdo e reescreverá de forma adequada, acrescentando a informação necessária. Desta forma, seus artigos serão melhor considerados pelos motores de busca.

Erro #5 – Falta de atualização de conteúdo periódica

Cada motor de busca possui sua própria política sobre como e quando um website deve ser analisado e suas novas páginas incluídas nas buscas. Com o Google, o tempo que leva para que ocorra essa “visita periódica” depende da velocidade de atualização de conteúdo na mesma.

Sendo assim, um website que é atualizado diariamente pode ser visitado pelos robôs do Google uma ou duas vezes por dia. Já um website que não atualiza seu conteúdo (criando novo artigo, por exemplo) nem mesmo semanalmente pode ser visitado somente uma vez por semana pelo Google Search, o que levará a demorar mais para indexar novas páginas.

__________________________________________________________

Espero que vocês tenham gostado. Estas são somente algumas das principais recomendações para quem está cuidando de sua estratégia de SEO.

Resumidamente, traga sempre muita informação original, conteúdo único, de qualidade, em uma frequência que você possa manter sem muito stress e você verá seu ranking subir no Google aos poucos.

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o minicurso Como Ganhar Dinheiro na Internet]

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

One comment

  1. grandes emocoes says:

    Sou novo em SEO e este artigo me ajudou a esclarecer alguns conseitos, muito bom.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *