Tag Archive for negócio próprio

Infoprodutos ainda são rentáveis?

Se você está planejando criar um infoproduto, mas está preocupado se tal modelo de negócio ainda é rentável, pode ficar sossegado: ainda é possível ganhar um bom dinheiro com a venda de infoprodutos. Entretanto, é importante considerar alguns pontos em sua estratégia a fim de que seja realmente rentável!


Em primeiro lugar, vale a pena lembrar que infoproduto nada mais são que produtos digitais informativos, o que pode traduzir-se em livros, vídeo-aulas, podcasts, softwares etc. E há muitas pessoas ávidas por conhecimento e, portanto, dispostas a pagar pelos mesmos.


Em segundo lugar – e não menos importante que o que já foi exposto acima – se quer vender um infoproduto, é melhor que o faça você mesmo e garanta a sua qualidade! O que mais vimos nos últimos anos na web foi uma “explosão de infoprodutos” graças aos conteúdos PLR. Isto é, qualquer um poderia pegar um “e-book genérico sobre finanças”, dar uma cara nova, acrescentar duas ou três ideias ao mesmo e pronto, mais um e-book sobre finanças pessoais prontinho para ser vendido!


Nem é preciso dizer muito, não é mesmo? Esses “produtos enlatados” vendem cada vez menos e quem investir em tal estratégia de vendas estará somente reduzindo suas oportunidades de criar relacionamentos duradouros com seus visitantes e, assim, ganhar muito mais. Quer vender um infoproduto? Que tal seguir todos os passos necessários, pesquisar o mercado, as dificuldades de seu público-alvo e produzir conteúdo que realmente responda suas dúvidas?


Faça do jeito certo e venda muito. Faça igual a todo mundo e fique aí, reclamando que infoprodutos não são mais rentáveis…

Empresa de marketing


Quando o assunto é falar sobre uma empresa de marketing, a abordagem pode ser muito ampla, pois você pode dizer como montar uma empresa de marketing, por que contratar uma empresa de marketing, etc. Sendo assim, para abordar melhor o tema, que tal falarmos um pouco sobre como ter uma empresa de marketing não deixando de abordar por que pode ser um bom negócio?

Entendendo o negócio

Antes de abrir sua empresa de marketing é preciso entender deste tipo de negócio, ou seja, conhecer sua essência e o que será preciso para torná-la um sucesso.

Uma coisa é certa: conhecimento é a principal habilidade de uma boa empresa de marketing, que deverá sempre estar atualizada com o mercado e as novas tendências. Assim, presume-se que o seu maior investimento não será em equipamentos e sim em pessoas.

Além disso, não adianta querer entrar no ramo por simples achismo, sendo que um curso de marketing será essencial para o perfil de empreendedor do negócio.

Estrutura de uma empresa de marketing

Para montar uma empresa de marketing não é preciso um espaço muito grande, visto que as ideias não precisam de muito espaço para acontecerem. Porém, não dá para querer colocar diversas pessoas em uma única sala e criar um ambiente apertado. Sendo assim, é preciso calcular o número de pessoas que irá trabalhar com você para depois definir o tamanho do local.

Quem está começando agora deve ir devagar quando o assunto é contratação de pessoas, pois contratar demais é um grande problema no futuro. Da mesma forma, se acaba contratando em excesso, precisará de um local maior e depois terá problemas em alugar outro ponto.

Por isso é importante fazer tudo com calma e muito planejamento. Pense antes quais os serviços que irá prestar em sua empresa de marketing para saber o número de profissionais para o início do negócio. Não se preocupe se a demanda aumentar, pois poderá contratar freelancers provisoriamente ou até mesmo adotar esta técnica em projetos esporádicos e ir aumentando o número de colaboradores quando o negócio já estiver dando lucro.

Cuidado neste momento, pois não adianta querer deixar um único profissional para cuidar de SEO e também de design porque isso, além de tirar o foco do colaborador, poderá atrasar muitos projetos. Tente ter ao menos um especialista em cada área da empresa e verá que os resultados serão muito melhores.

Depois tente adequar este número de profissionais a um espaço razoável, lembrando de ter sempre uma sala para realizar o atendimento dos possíveis clientes e também um local de reunião, pois a cada projeto novo é imprescindível debater ideias com todos da equipe.

Investimento da empresa de marketing

É difícil calcular o real investimento de um negócio porque isto vai variar bastante de acordo com o número de pessoas que irá contratar (dependendo da quantidade de serviços que irá prestar), região, local da empresa, etc.

A localização pode ser ou não um ponto importante neste negócio, pois em alguns casos você pode estar mais focado na parte de marketing digital, fazendo com que a localização do ponto comercial não conte muito e um site seja muito mais importante.

A criação do site, gastos com propaganda online e offline também devem estar inclusos no orçamento de planejamento de seu negócio para que calcule ao certo quanto precisará para começar seu negócio, lembrando sempre do capital de giro e ficando de olho em suas finanças sempre para não perder o controle e se afundar em dívidas.

O planejamento é a principal parte ao abrir sua empresa de marketing, assim como no caso dos demais negócios, então não hesite em perder um pouco mais de tempo nesta parte se for necessário, pois futuramente o seu negócio renderá muito mais diante destes pequenos cuidados.

Lógico que estas dicas são pequenas diante da imensidão de ter o seu negócio próprio, mas já é um bom passo para você pesquisar bastante sobre o assunto e abrir uma empresa de marketing que tenha muito mais chances de dar certo para que seu investimento realmente valha a pena e você possa ser um empreendedor de sucesso.

E você? Se já tem alguma empresa de marketing ou tem uma boa dica, conte aqui e ajude outras pessoas a ganhar dinheiro com seu negócio.

Por Jeniffer Elaina

Como começar um negócio de roupas

O sonho de todos é ter um negócio próprio para ganhar dinheiro sendo seu próprio chefe e como começar um negócio de roupas é uma dúvida comum, já que o mercado de confecção pode ser bastante promissor.

Para começar o seu negócio de roupas é preciso antes ter um perfil de lojista, ou seja, tem que gostar de moda e estar por dentro das tendências que envolvem o mundo têxtil, afinal, como em todo negócio, você precisa gostar e se identificar com o que faz. Você gosta ou já é apaixonado? Então veja o que fazer:

Escolha o ponto comercial do seu negócio de roupas

A localização vai contar bastante em um negócio de roupas. Lógico que conta em todo tipo de empresa que for abrir, mas no caso das roupas, em especial, conta ainda mais, visto que diversas compras são feitas por impulso, simplesmente porque alguém passou e viu uma roupa bonita na vitrine.

Ah, muito bem, além da escolha do ponto comercial correto em local de bom movimento e que seja direcionado ao seu público-alvo, você deve caprichar na vitrine, pois é um grande chamariz de uma loja de roupas.

Não se esqueça de levar em conta a concorrência local ao escolher o seu ponto, pois de nada adianta querer competir com alguma empresa que já seja muito conceituada e que não terá diferencial sobre o seu negócio. Se o seu for igual o dela e ela já tem público, tente achar um outro local antes.

Escolha o seu foco

Sua loja de roupas pode até atender a todos os públicos e ter roupas para todos os estilos, mas deve haver um foco principal que deve ser: roupas femininas, masculinas ou infantis? Depois, o seu público-alvo será classe C, B ou A? Isso vai implicar diretamente nos tipos de produtos que irá vender, assim como na propaganda que fará do seu negócio para atingir seus clientes.

Lógico que mesmo que escolha focar roupas femininas não quer dizer que não poderá ter algumas peças masculinas e infantis para as mulheres que vêm e aproveitam para presentear o marido e as crianças, mas o foco é sempre importante para determinar o posicionamento do seu negócio de roupas.

Faça um planejamento do seu negócio de roupas

Como tudo que precisa de planejamento antes de começar, o seu negócio de roupas destaca-se em itens importantes:

  • Estrutura para vendas e exposição dos produtos;
  • Decoração da loja;
  • Seleção e recrutamento de pessoal;
  • Higiene local.

Estes passos definem itens importantes como ter um bom espaço para demonstrar os produtos e vender, empacotar, fazer o recebimento do dinheiro, etc.; decorar a loja de maneira que fique atrativa e desperte a atenção dos clientes que podem estar passando pela rua (cuidado para não exagerar); selecionar pessoal capacitado e vendedores treinados para fazer um bom atendimento e deixarem os clientes à vontade; e ter um ambiente limpo, bem aromatizado, que dê vontade de ficar por mais tempo.

Parecem itens tão simples, mas que fazem toda a diferença em um negócio de roupas que está começando agora e tem um grande mercado concorrente esperando em lojas físicas e virtuais, então todo cuidado é pouco.

Defina também quem será responsável pelo estabelecimento, se será você ou haverá algum gerente contratado. No início, conforme o tamanho da loja, pode ser que um vendedor seja suficiente, mas depois que notar o crescimento de público, vá contratando mais.  Não precisa ir com pressa, mas também não vá dormir no ponto e deixar seus clientes sem atendimento.

Pesquise os mais variados fornecedores e tenha sempre contratos para garantir a qualidade da garantia e a troca no caso de defeitos. No início, peça referência e conheça diversos fornecedores que possam te atender para não depender de um único que pode te deixar na mão. Depois já será capaz de ver quem é o mais ou menos confiável e ir peneirando aos poucos.

No geral, para abrir um negócio de roupas é preciso o mesmo que nos demais negócios: força de vontade e planejamento. Isso pode ser feito com o seu simples entusiasmo em já estar lendo sobre o assunto (como leu este artigo até o final) e com a criação de um plano de negócios (mais uma vez ele entra no meio para mostrar que é importante).

Por Jeniffer Elaina

O que vender pela internet para ganhar dinheiro

A internet tornou-se um ótimo canal de vendas e por isso há várias opções do que vender pela internet para ganhar dinheiro desde que você tenha consciência sobre o mercado e sabia administrar o seu negócio, pois independente de ter uma loja física ou não, o comprometimento deve ser o mesmo.

Vantagens de vender pela internet

Entre as diversas vantagens de vender pela internet está o aumento de vendas através de e-commerce e o fim do tabu onde as pessoas tinham medo de comprar online. Atualmente, o número de compras feitas em lojas virtuais é grande devido ao baixo preço e facilidades.

Além de garantir um bom meio, você não precisa ter uma loja física e nem funcionários, caso dê conta do trabalho sozinho. Será necessário somente um local para guardar os produtos, que pode ser um cômodo de sua casa inicialmente, até ter condições financeiras de alugar um depósito e for viável.

Devido à redução de custos, você acaba vendendo mais barato e consegue atrair a clientela com boas ofertas.

O que vender pela internet

Depois de conhecer as vantagens de vender pela internet, a pergunta sempre é o que vender pela internet. Pois há diversas formas de venda:

  • Roupas: antigamente a venda de roupas era muito pequena devido à insegurança em relação a tamanhos, mas agora já há um padrão maior e a troca pode ser feita de maneira facilitada, o que garante mais vendas.
  • Calçados: assim como no caso das roupas, não há mais insegurança em comprar sapatos pela internet, pois as pessoas sentem-se seguras com a numeração e o sistema de trocas online.
  • Livros: os livros sempre foram uma boa chance de ganhar dinheiro vendendo produtos na internet porque não precisam de numeração ou tamanho e não terão problemas de troca. Sendo um dos itens mais antigos vendidos pela internet, ainda há muito sucesso com a venda de livros, que praticamente roubou o espaço das livrarias em lojas físicas, que diminuíram consideravelmente.
  • Cosméticos: outro item que não precisa ser comprado em loja física e ganha bastante repercussão no meio online são os cosméticos, pois a pessoa que já está habituada a usar um determinado creme, sabe que não tem erro pedi-lo pela internet, já que pode ser bem mais barato.
  • Infoprodutos: esta é uma modalidade que surgiu com a internet mesmo e está ligada aos famosos e-books que ensinam como ganhar dinheiro, como abrir seu próprio negócio, etc. A venda destes itens ganha cada vez mais espaço por não serem tão caros, mas é preciso criar um infoproduto exclusivo ou então comprar de alguém que capriche na qualidade devido ao nível de concorrência.
  • Serviços freelancers: não somente produtos são vendidos pela internet, mas também serviços, como no caso dos serviços freelancers. Seja para vender um artigo, montar um site, fazer um sistema de uma loja, etc. é possível ganhar dinheiro pela internet. E para isso basta ter acesso ao computador e usar do seu próprio tempo e potencial, sem que tenha que comprar nenhum tipo de produto. É só usar suas habilidades e vender seus serviços.

Lógico que não são somente estas as opções do que vender pela internet para ganhar dinheiro, pois quando se fala de um meio digital, que está em grande expansão e só tende a evoluir cada vez mais, dizer o que não pode ser vendido através da internet é bastante difícil, pois as pessoas já estão se acostumando com o meio online e compram até mesmo móveis, eletrodomésticos, computadores e produtos se alto valor sem se preocuparem com a entrega, pois confiam em diversas lojas virtuais e estão acostumadas com o processo.

É justamente isto que deve fazer ao criar seu sistema de vendas pela internet, seja um site ou apenas uma venda pelo Mercado Livre, blog ou e-mail: você deve criar confiança e trabalhar para que as pessoas confiem em você o suficiente para comprarem várias vezes e indicarem para outras pessoas. Assim o negócio só tende a crescer junto ao meio digital.

E você, já vendeu ou pensa em vender algo na internet? O que vender pela internet para ganhar dinheiro, em sua opinião de consumidor e também de empreendedor?

Por Jeniffer Elaina

 

 

Como ser um pequeno empreendedor

É possível dizer que, atualmente, só não e legaliza quem não quer, pois o impedimento de ter um negócio próprio e legalizado acabou com a criação do pequeno empreendedor. E posso dizer com toda certeza que realmente a burocracia é simples e compensa, pois em 2012 eu me tornei uma pequena empresária (falarei sobre isso depois).

Antes de tudo, é preciso entender que o pequeno empresário também é chamado de MEI (Microempreendedor Individual), então qualquer um dos termos que tiver que utilizar será válido. Nada mais é do que uma pessoa jurídica que pode ter um faturamento máximo de R$60.000,00 ao ano (ou seja, uma média de R$5.000,00 ao mês) e possui certos benefícios como isenção de impostos, por exemplo.

Existem as atividades próprias que podem entrar nesta categoria de empresa e, basicamente, une as funções exercidas por autônomos e profissionais liberais a fim de facilitar o dia a dia do pequeno empreendedor e ajudar com os benefícios que a legalização pode trazer para o seu negócio.

Quais as vantagens de ser um pequeno empreendedor

Entre as vantagens de se regularizar como pequeno empreendedor, além da regularização do seu negócio, está a isenção ou redução de impostos, sendo que você deverá pagar somente uma taxa mensal de INSS (que nada mais é do que a contribuição para sua aposentadoria) e uma pequena taxa que varia de acordo com o seu segmento.

Em valores atualizados, no ano de 2013, as taxas mensais são de:

  • R$34,90 (comércio ou indústria)
  • R$38,90 (prestação de serviços)
  • R$39,90 (c0mércio e serviços)

Não será preciso pagar nada além disso, nem mesmo alguma taxa para fazer sua inscrição, pois pode ser feita pela internet ou através de um escritório de contabilidade que trabalha no Simples Nacional e não cobrará nada pela realização dos serviços durante um ano.

A burocracia de uma contabilidade rígida não existe, sendo que não é obrigatório emitir NF a não ser para empresas e não há imposto na emissão da mesma. Além disso, será necessário realizar somente a declaração de faturamento anual, feita no mês de janeiro de cada ano.

O pequeno empreendedor tem direito à aposentadoria de um salário mínimo e todas as coberturas referentes ao INSS, como auxílio-doença ou maternidade, pensão por morte, etc.

Mas como se tornar um pequeno empreendedor

Há duas alternativas: acessar o Portal do Empreendedor e fazer seu cadastro, recebendo seu CNPJ na hora, ou procurar um dos escritórios conveniados e pedir auxílio na abertura.

Após isso, precisará somente pagar o boleto mensal com a taxa única e realizar suas atividades normalmente. Muito fácil, né?

Depoimento pessoal como pequena empreendedora

Vou aproveitar este artigo para dar meu depoimento pessoal sobre a legalização de pequeno empreendedor, pois muitas pessoas acreditam ser muito bom para ser verdade.

Bem, eu busquei as informações que queria no Portal do Empreendedor e vi um escritório de contabilidade conveniado para começar o processo. Preferi não me inscrever sozinha com medo de fazer algo errado.

Devo confessar que, como o serviço é gratuito, o atendimento não foi assim tão bom, porém, como era meu direito abrir minha empresa sem ter que pagar nada, tive que aguentar um pouco de cara feia até estar com tudo legalizado.

Como não há nenhum pagamento, você mesmo deve ir tirar o alvará na Prefeitura e pegar a senha para fazer seu talão de notas, bem como entrar em contato com a gráfica.

Foi bastante rápido todos os processos, pois na Prefeitura há um local que também se chama Portal do Empreendedor e o alvará provisório sai na hora. Na Secretaria da Fazenda, o atendimento para senha foi muito bom e na gráfica é bem tranquilo, pois podem entregar em casa.

Feito isto, meu único “trabalho” é pagar o pequeno boleto todos os meses, desde setembro de 2012, quando me formalizei.

Já tive que realizar minha primeira declaração de faturamento e para não ter que aguentar cara feia, preferi pagar um outro escritório, que fez o processo na hora e cobrou R$70,00. Achei o valor bastante razoável, visto que as despesas durante o ano são poucas (só INSS e pequena taxa) e também porque o próprio escritório já emite os boletos do ano inteiro para que não precise preocupar-se com mais nada.

Sei que o tempo de experiência ainda é pouco, mas só tenho a dizer que foi ótimo, pois posso trabalhar em minha área (escrita e revisão) para outras empresas, já que forneço nota. Além disso, meu trabalho permite trabalhar em home office, o que deixa tudo muito melhor e sem despesa alguma com aluguel.

Espero que no processo de aposentadoria, tudo funcione também (se bem que é melhor pagar uma aposentadoria privada ou fazer uma boa poupança porque um salário mínimo é pouco).

É isso…tomara que possa ter ajudado você a tirar um pouco das dúvidas sobre o pequeno empreendedor! Qualquer coisa, só perguntar…

Por Jeniffer Elaina