Qual profissão ganha mais dinheiro? – prova estatística

Olá a todos os amigos e leitores do Clube do Dinheiro! Estamos de volta com mais um artigo-resposta, desta vez para um comentário publicado em Qual profissão ganha mais dinheiro? , comentário de nosso amigo Danilo:

Eu achei esse artigo inútil… não falou nada estatístico… só a opinião do autor, que parece mais opinião de consultor de RH. Fraco demais…
Existem profissões que dão mais dinheiro sim, e isso é comprovado estatisticamente… tem até um site onde você acha qual faixa salarial hoje está ganhando mais dinheiro em uma profissão específica do brasil (salariômetro do governo)… pra quem procura informações sobre SALÁRIO, não interessa afinidade… eu por exemplo odeio o que faço, mas mudei de profissão de uma que gostava para uma que eu não gosto de fazer porquê? PORQUE DÁ MAIS DINHEIRO! Nunca ouviu essa história? Ouço muito por aí, e é o meu caso… nem sempre profissão mais fácil dá menos, e profissão mais difícil dá mais dinheiro… mas que existem umas que oferecem muito mais oportunidade, respeito e dinheiro EXISTEM, este artigo é uma bobagem…

Antes de mais nada, deixem-me cumprimentar nosso amigo Danilo. Olá e espero que esteja tendo um ótimo dia! Fico feliz pelo seu comentário e, agora, iremos responder ao mesmo.

Gostei de seu comentário pois ele busca embasar-se em argumentos. Gosto de comentários negativos quando são bem argumentados, pois nos permitem defesa – nada pior do que se você simplesmente disse “Achei inútil” e não falasse mais nada. É somente um achismo, sem argumentos, dá vontade de apagar e pronto.

Bem, irei responder seu comentários por partes, ok? Acredito que ficará melhor assim!

“Não falou nada estatístico”

Muito cuidado quando se utiliza de um dado estatístico. Eles são muito bons quando temos dados onde poucas variáveis influenciam o universo estudado, de tal forma que possamos analisar o todo mais facilmente. Mas quando o número de variáveis é muito grande, facilmente deixamos passar certas informações que podem ser essenciais.

Quer ver só? Vamos olhar pela ótica estatística… Médicos, advogados, políticos e juízes são ditos terem os maiores salários, em média. Temos assim uma sociedade constituída por uma classe C – composta em sua maioria por pessoas ligadas a outras profissões – e uma classe B – onde há um grande número de médicos e advogados, o que credita a informação passada.

Então está tudo certo! Diante desta ótica, todo o artigo é uma “inutilidade pública”! Para que incentivarmos nossos jovens a fazer o que se ama, não é mesmo? Não é muito melhor forçá-los a estudar por mais de 23 anos e depois trabalhar por outros 30 anos em algo que não goste, mas que estatisticamente oferece mais dinheiro? Mas, espere! Há uma lei da oferta e da demanda! De tal forma que, caso isso ocorra, o número de vagas para aquele tipo de profissional será menor do que a procura, o que força salários a caírem e a outros na sociedade aumentarem, além de uma desestruturação devido à falta de outros profissionais… Mas para que pensarmos nisso tudo, se o pensamento mais correto é “todo mundo agora virar médico ou político”, não é mesmo?

Certo, agora vou olhar um pouco fora das estatísticas, buscando exemplos como Bill Gates, que nem terminou sua graduação para dedicar-se à Microsoft. Temos também Mark Zuckerberg, dedicado ao seu principal produto, o Facebook. E o que dizer então de Steve Jobs, co-fundador da Apple?

Olha só que engraçado… Todas essas pessoas “fogem às estatísticas”, mas são bilionárias! E se procurar mais, veremos muitos outros exemplos e não somente lá fora, mas aqui no Brasil também! Sabe o que isso me diz? Que as estatísticas apontam no máximo “a média”, isto é, para onde pessoas comuns estão guiando suas vidas comuns para ganharem salários comuns. E sinto muito, mas meus artigos não são escritos para pessoas comuns, pois a maioria das pessoas comuns ainda não percebeu a importância da educação financeira e tantas outras coisas que discutimos aqui. São escritos para pessoas extraordinárias que são os meus leitores, que sabem que a vida é mais do que uma simples estatística e provam isso a si mesmos a cada dia. E essa prova vale mais do que uma simples prova estatística. 🙂

Mas vamos em frente que há muito mais para respondermos!

“Só a opinião do autor, que parece mais opinião de consultor de RH. Fraco demais”

Então seja feliz, pois você conheceu bons consultores de RH em sua vida, pois os que conheci só me indicavam “seguir as estatísticas”!

E quanto ao “só a opinião do autor”, não há comentários, afinal de contas, um blog é para isso mesmo, para que possamos expor nossas opiniões, não é? Além do mais, uma perguntinha, você já leu meu artigo Quando e por que eu decidi ganhar dinheiro? Acredito que não, pois no mesmo eu afirmo quantas vezes já fui “contra a onda”, fazendo aquilo que era contrário ao senso comum e mesmo assim “sobrevivi” ou melhor dizendo vivi de verdade.

E quanto ao argumento ser “fraco demais”, como já disse, não dá para rebater subjetivismos – os argumentos estão sendo discutidos, depois, cada um pode formular suas conclusões, ok? 🙂

“Por exemplo odeio o que faço, mas mudei para esta profissão porque dá mais dinheiro!”

E é nisso onde está sua descrença! Muitas pessoas preferem desistir do que amam para “seguir o mais fácil” que nem sempre é o mais fácil assim. Em todas as áreas do conhecimento e profissões, sempre é possível encontrar um “ponto fora da curva”, uma pessoa que se destacou muito mais e ganhou mais do que geralmente é rotulado ganhar por profissionais naquela área. O que você precisa, então, é ser essa pessoa!

Segundo o ciclo da natureza, todos nascem, crescem, reproduzem e morrem. Entretanto, isso não diz que todos “vivem de verdade”. São as nossas escolhas que determinam se viveremos de verdade ou se somente cumpriremos o ciclo.

Volto a afirmar: em qualquer ramo do conhecimento ou profissão, é possível ganhar mais… Você me diz que não, então peguemos um exemplo simples: um professor de ensino fundamental. No Brasil, infelizmente, professores do ensino fundamental são, infelizmente, muito mal pagos. Mas eis que tenhamos um professor diferente, pronto para lutar contra isso – vamos chamá-lo, ironicamente, de João.

Pois bem, João pensou bastante e percebeu que há uma grande deficiência quanto a um serviço de apoio aos professores de ensino fundamental, algo que tornasse a vida desses profissionais mais fácil e, assim, pudesse fazê-los aproveitar de seus empregos. Desta forma, João começou a sair de sua zona de conforto e buscou, por meio de parcerias, desenvolver tal tipo de serviço. Hoje, além de seus 300 alunos, João assessora 60 outros professores.

Este é um exemplo muito simples que mostra como podemos levar nosso conhecimento a fazer e ganhar mais por nós. Fico com receio toda vez que cito um exemplo desses, pois algumas pessoas têm mania de achar que aquele exemplo é uma exceção, quando não é! Poderíamos encontrar várias outras oportunidades, cada qual dentro de uma determinada área de atuação!

Além disso, João poderia ter se especializado ainda mais em sua atividade de licenciatura, tornando-se um professor tão bom que seu nome é sinônimo de qualidade (qualquer semelhança com a vida real não é pura coincidência)! As escolas passam a convidar aquele professor para lecionar ou mesmo palestrar! Não é impossível, mas infelizmente é muito difícil para quem não está acostumado a sair de sua própria zona de conforto.

“Nunca ouviu essa história? Ouço muito por aí, e é o meu caso…”

Sim, ouço sim! Mas geralmente ignoro… As pessoas têm mania de repetir o que ouvem, sem analisar realmente os fatos. Meu pai vive a me criticar porque não tenho um “emprego de verdade”. Critica-me porque agora estou trabalhando somente em meus projetos – e gastando dinheiro em vez de ganhar, uma vez que expandimos a equipe há pouco tempo!

Mas por outro lado, o que poucos percebem nisso aqui é que estou criando oportunidades a outras pessoas. Se não estivesse a contratar ninguém, o que ganho seria suficiente a pagar praticamente todas as minhas contas, mas buscando ganhar mais no futuro decidi arriscar – é isso o que mais faço e por sorte tem dado certo.

Danilo, estou certo de muito do que você pensa é justamente pelo ressentimento de ter abandonado o que amava fazer para ter mais oportunidades financeiras em outras áreas, mas tenho certeza também de que se você usar todo o seu potencial, encontrará como trilhar o seu caminho da forma que realmente deseja e sem prejuízos financeiros, pelo contrário, podendo até mesmo ter mais ganhos! Isso tudo, como disse no outro artigo e tornarei a repetir aqui, só depende de você!

E então pessoal, mais alguma prova estatística é necessária para sabermos qual profissão ganha mais dinheiro? 😉

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

2 comments

  1. Lucas Neves says:

    Boa…

    Gostei muito da resposta: “Não falou nada estatístico”

    Prentedo ser um grande Empreendedor, não sou um bom aluno na escola porque não me interessa, mais em compensação em matéria de Economia e investimento já tracei todos os meus projetos que até os “CDFS” da minha classe que não tem a cabeça expandida como a minha, prendendem trabalhar na minha empresa de investimentos, eu acho super certo o seu comentário que esse blog não é para pessoas comuns que se formam para um emprego e querem morrer fazendo ele, eu como tenho uma mente completamente aberta pretendo não fazer faculdade e daqui 3 anos começar a investir em ações, pesquisas e comercios Imobiliarios, não penso em ser Funcionario e sim o patrão, se o mundo tivesse apenas pessoas extraordinarias seríamos o Triplo avançados intelectualmente do que somos. (Ia colocar isso no começo mais penei que o preconceito ia ganhar e não iriam dar atenção ao meu comentario, tenho 15 anos e penso desse jeito, li diversos livros de Empreendedorismo e tracei projetos, imagina eu mais velho?)

    DOU A MAIOR FORÇA PARA O BLOG JÁ ESTÁ NOS FAVORITOS 😀

  2. admin says:

    Olá Lucas, tudo bem? Fico feliz que tenha gostado de nosso artigo e, como disse, este blog realmente não será de muita serventia para quem prefere “seguir a maioria”, veja só:

    * A maioria das pessoas não se preocupe com poupar e investir pensando no futuro – preferem apostar na mega sena que custa “só” alguns reais e pronto;
    * A maioria das pessoas não está disposta a sair de sua zona de conforto, “estou tão bem aqui em meu cantinho, por que devo me arriscar?”;
    * A maioria das pessoas balançam a cabeça concordando quando houvem um exemplo de uma pessoa de sucesso, mas poucas delas abrem a boca para dizer algo como “vejam só eu, por exemplo”, ou seja, para falar sobre algo genial que fez.

    Claro que, com isso dito, não digo que devemos nos rebelar contra tudo que todo mundo faz, isso também não seria uma atitude inteligente, mas temos que analisar cada passo e determinar, assim, qual o nosso melhor caminho.

    Se você, Lucas, quiser abrir sua empresa de investimentos, foque nisso e não deixe que ninguém lhe diga que não o pode fazer! Desistir de um sonho antes mesmo de lutar por ele é com certeza um dos maiores erros que o ser humano pode cometer!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *