Planejamento Financeiro #1 – Como investir pouco dinheiro – parte 1

Olá, amigos do Clube, estamos agora inaugurando uma nova categoria chamada Planejamento Financeiro, onde estaremos publicando vários “modelos” de planejamento financeiro, cada qual pensando quais são os melhores passos a serem seguidos por pessoas ou famílias com determinados perfis financeiros.

Desta forma, você pode procurar aqui no Clube do Dinheiro, na seção Planejamento Financeiro, qual o plano financeiro que melhor se encaixa com o seu perfil e ajustá-lo às suas necessidades e capacidades.

E hoje temos uma tarefa bastante difícil – um planejamento financeiro onde a renda mensal é baixa (cerca de um salário mínimo e meio) e há ainda certas despesas (como pensão alimentícia, planos de saúde, aluguel da moradia, etc).

Diante desta situação, já temos algumas constatações:

  • Entenda que o problema não é a falta de dinheiro, mas sim a forma como você administra o mesmo. Se você acreditar que o problema é a falta de dinheiro, você começará a crer que somente ganhando uma grande quantia de dinheiro irá mudar sua situação e nós mostraremos aqui que um passo de cada vez de form disciplinada é suficiente;
  • É praticamente impossível conseguir ajuda profissional para orientá-lo como melhor gerir o seu dinheiro, pois você precisaria incluir mais um novo custo no seu orçamento, que a partir de agora deverá ser o mais enxuto possível. Por sorte, nós temos a Internet, onde há vários profissionais ou estudantes que adoram discutir o assunto e pode ajudá-lo, como nós do Clube do Dinheiro; 🙂
  • A renda atual é baixa e nós precisaremos fazer alguma coisa para mudar isso. Uma renda extra pode significar mais trabalho, mas também significa algum dinheiro a mais entrando que, mais tarde, poderá fazer muita diferença.
  • Estabelecer uma maior liberdade financeira, garantir uma aposentadoria mais traquila ou quitar completamente certas dívidas. Estabeleça o seu objetivo atual de acordo com as suas necessidades e jamais se esqueça que é atrás disso que estamos;
  • Disciplina e determinação são muito importantes, não somente agora, quando “as coisas parecem feias”, mas também mais tarde, quando a gente parece “começar a virar o jogo”. É comum quando o dinheiro “começar a sobrar” a gente ficar tentado e acabar gastando muito, comprando uma moto, carro ou qualquer outra coisa. O perigo está aí, pois muitas vezes assumimos novos gastos excessivos que nos levarão outra vez a grandes problemas e todo o planejamento financeiro até então vai ter ido por água abaixo, sendo necessário recomeçar tudo outra vez.

Bem, agora que já citamos esses cinco pontos, que tal começarmos?

Revise todo o orçamento familiar

Eu já devo ter comentado isso aqui ao menos umas 10 vezes – o primeiro passo é sempre “fechar a torneira” por onde o dinheiro está saindo. Não adianta nada pensar em ganhar mais dinheiro ou em investir o dinheiro se o orçamento familiar sempre fizer ele ir “para o ralo”.

Revise todos os gastos classificando-os como essenciais e supérfluos. Gastos essenciais são aqueles que não podem ser eliminados, como aluguel, contas de água e luz e gastos relacionados ao trabalho, no caso de quem é profissional autônomo. Já os gastos supérfluos são aqueles que podemos reduzir ou mesmo cortar sem termos perda de qualidade de vida, como os gastos com passeios, compras desnecessárias, etc.

O que fazer? No caso de gastos essenciais, revise-os para saber onde você pode economizar, geralmente evitando certos desperdícios – luzes ou aparelho televisor ligado quando não há ninguém por perto, torneiras pingando, etc. Reduza os gastos essenciais tanto quanto puder. Converse com toda a sua família e veja como podem proceder em tudo de forma a gastar o mínimo possível.

Já quanto aos gastos supérfluos, busque reduzi-los bastante, se possível, até eliminá-los. Não, você não terá uma vida totalmente sem diversão por meses ou anos, mas quando possível, reduza bastante, lembre-se que aquele dinheiro que será economizado lhe trará um conforto muito maior no futuro.

Reduzir ou cortar os gastos supérfluos é o que chamamos “cortar a gordura”. Não tenha medo de “cortar a gordura” agora: é melhor fazer isso do que, mais tarde, ser obrigado a “cortar a carne”, isto é, reduzir ou eliminar certos gastos essenciais, o que provocará perda da qualidade de vida, com certeza!

Faça essa revisão do orçamento familiar e tomada de decisões semanalmente com sua família. Tais reuniões não devem ser longas, mas sim, visam manter todos atentos ao que estão fazendo bem como aos resultados que estão conseguindo.

Você perceberá que após dois meses ou pouco mais, após alguma relutância, todos já estarão acostumados a reduzir os gastos, o que tornará esta tarefa fácil.

O passo seguinte deve ser feito ao mesmo tempo que este primeiro passo…

Buscar novas formas de ganhar renda extra

Veja bem, não estou falando de você procurar um novo emprego, mas sim, procurar um meio de complementar sua renda atual.

Há diversas oportunidades para ganhar dinheiro, algumas mais rentáveis, outras nem tanto, entretanto uma coisa é certa: quanto mais rentável for, mais habilidades e conhecimentos ela exigirá. Sendo assim, comece procurando fontes de renda extra que explorem o máximo de seu potencial.

Alguém poderia me dizer: mas e se eu não possuo habilidades ou minha escolaridade é baixa, como devo proceder? Neste caso, você deve procurar trabalhos que não exijam habilidades ou níveis de escolaridade. Sim, eles são menos rentáveis, mas é como eu disse, não há como mudar isso num passe de mágica e você precisa começar a mudar sua situação agora.

Mas atenção a uma coisa: não pode reclamar. Um problema de muitas pessoas é que após conseguir uma segunda renda, elas passam a somente reclamar do cansaço, dizerem que aquilo não está certo e um monte de coisas mais. Trate isso como uma dádiva, um prêmio, uma chance que você está recebendo para mudar sua situação. Se você pensar assim, positivamente, sentirá mais energia e disposição para cumprir com suas tarefas e poderá aproveitar melhor seus tempos de descanso.

Você pode estar pensando: é fácil você falar, não é você que vai estar trabalhando em duas coisas! Bem, se você pensou isso, com certeza você não leu meu artigo Quando e por que eu decidi ganhar dinheiro, onde comento que cheguei a trabalhar para três empresas diferentes, totalizando cerca de 100 horas por semana. Sim, meus amigos, eu acordava às 3:00 e ia dormir às 23:30, de segunda a sábado e, várias vezes, tinha que trabalhar parte do domingo por não ter conseguido “pagar todas as horas”. Se valeu a pena? O meu apartamento já está pago e ele ainda nem mesmo foi entregue. Preciso dizer algo mais? E então, ainda se acha no direito de reclamar? 🙂

Sei que buscar novas formas de renda não será fácil, mas você precisa persistir. Busque diversos estabelecimentos comerciais, negocie até mesmo a possibilidade de trabalhar “sem carteira de trabalho assinada”. Pense em começar a mudar o agora para ter um amanhã melhor!

Há diversas oportunidades para ganhar dinheiro na Internet, mas se você não teve uma boa escolaridade, se você não tem familiaridade com computadores e Internet e se você já não tem alguma experiência em negócios pela Internet ou contatos que possam ajudá-lo a conseguir algum trabalho relacionado, é melhor esquecer isso por enquanto, pois você terá muitas dificuldades para adaptar-se e começar a ganhar dinheiro aqui – é melhor deixar isso para mais tarde, no momento certo.

Invista em sua educação

O terceiro passo que também deve ser executado tão logo comece a sobrar algum dinheiro e puder usá-lo para aprender mais. Investir em conhecimento é uma das melhores formas de investimento.

Se não concluiu o ensino médio, volte a estudar e faça-o. Até mesmo se nem começou o processo de alfabetização, você tem agora a oportunidade de começar a fazê-lo! Não espere mudar seu futuro se não der a devida importância à educação.

É uma pena que tantos jovens desperdiçam oportunidades de aprender no período escolar para mais tarde dizer “se eu tivesse aproveitado isso melhor”. Não faça isso, mude já seu comportamento!

Além disso, invista em sua educação financeira. É incrível que não aprendemos nada disso na escola, apesar da grande importância que há nisso. A educação financeira consiste em aprender como melhor gerir o seu dinheiro a fim de que ele possa atender às suas necessidades cotidianas e ainda garantir alguma liberdade financeira. Neste ponto SEMPRE recomendo Os Segredos da Mente Milionária, uma obra que já li duas vezes e pretendo ler uma terceira vez este ano.

__________________________________________________

Bem, este planejamento está mais longo do que eu esperava, de tal forma que vou quebrá-lo em dois artigos. Nesta primeira parte vimos as bases para a reestruturação da sua saúde financeira, que são a redução do orçamento, busca de novas rendas e investir em sua educação.

Na próxima parte (a escreverei tão breve quanto for possível), cuidaremos de falar sobre os próximos passos que a pessoa com este perfil deve executar para começar a fazer o seu dinheiro render e como escolher suas opções investindo pouco dinheiro. Até breve!

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *