O que lhe falta para ser rico?

O que lhe falta para ser rico?

Todo mundo sabe – ou tem uma ideia – do que significa ser rico. Você pode ser considerado rico (financeiramente falando) se você possui alto grau de independência financeira, isto é, possui bens, negócios ou investimentos suficientes para garantir seu estilo de vida desejado. E esse deveria ser o sonho de muitas pessoas – estranhamente, para muitos não o é, por crescerem com uma “programação mental” que ao mesmo tempo em que admira repudia aqueles que alcançaram tal estágio.

Qualquer um pode ser rico. Como diz Gustavo Cerbasi: enriquecer é uma questão de escolha. E sim, essa frase dói bem lá no fundo, mas é verdadeira. O problema é que muitas vezes até queremos, se possível amaríamos escolher enriquecer, mas por alguma razão que nos foge à compreensão não conseguimos. Por quê? O que podemos fazer para mudar isso?

As razões podem ser as mais diversas possíveis. Enumero abaixo cinco das mais prováveis que muitas vezes passam despercebidas por nós. Vamos lá!

O que lhe falta para ser rico?

Seu modelo mental é seu maior inimigo

Quem acompanha o Clube do Dinheiro desde o início sabe que um dos primeiros livros que li sobre Educação Financeira foi o livro de Harv Eker, Os Segredos da Mente Milionária, que, aliás, continua sendo para mim um dos melhores livros sobre o assunto. E um dos pontos-chave trabalhados pelo autor é a questão do modelo mental.

Cada um de nós é “programado” ao longo da vida a partir de tudo aquilo que vemos, ouvimos e sentimos. Se algo nos agrada aprendemos como sendo algo positivo, se desagrada, então é negativo. Isso serve para tudo: saúde, educação, amor, amizades e… dinheiro.

Você já ouviu alguma vez que “o dinheiro é a raiz de todos os males”? Ou então, que “é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”? Ou talvez “mais vale um gosto do que um dinheiro no bolso” (conheço até a “dona” dessa frase!)?

Se ao ler alguma dessas frases você se identificou ou concordou com a mesma, então, meu amigo, você está em sérios apuros. O seu modelo mental (ou programação mental, como Harv Eker denomina) está orientado a afastá-lo do dinheiro. Significa que mesmo que você deseje o conforto da estabilidade financeira, bem lá no fundo, há um “você” dizendo-lhe que ter dinheiro não é importante e só lhe trará problemas.

Mas não precisa se desesperar, como disse, trata-se de uma “programação” e portanto você pode reprogramar sua mente de forma que ela compreenda que: (A) dinheiro não é a causa de mal algum, (B) ele somente lhe dá meios para ser quem você é (seja bom ou ruim) e (C) sabendo geri-lo você pode satisfazer diversos desejos que hoje seriam impensáveis.

Para essa “autorreprogramação” sugiro a leitura de Os Segredos da Mente Milionária que faz um excelente trabalho orientando quem está começando.

Não se preocupa com sua Educação Financeira

Outra possível razão para ainda não ter alcançado sua meta é que talvez não se preocupe o suficiente com sua Educação Financeira. Não importa quanto dinheiro você ganhe, se você não sabe como cuidar ele, acabará gastando-o todo e não alcançará seus objetivos de longo prazo.

Você monitora suas despesas mensais? Você investe uma parte pensando em curto prazo e outra para o longo prazo? Quanto e como você investe? Você acompanha canais de podcast ou YouTube sobre Economia e Finanças Pessoais?

O assunto Educação Financeira é incrível: ele começa tão simples quanto “como você gasta seu dinheiro?” e pode avançar muito, entrando em áreas que às vezes até consultores financeiros experientes têm dificuldades para responder. Qual o melhor jeito para lidar com isso então? Compreender que você precisa estar sempre se atualizando sobre o assunto!

Quem deseja começar a aprender pode, então, procurar nosso curso de Educação Financeira, que possui uma linguagem bem acessível a todos e é gratuito. Além disso, recomendo acompanhar os podcasts da CBN Economia e de Gustavo Cerbasi (não, não estou recebendo para fazer propaganda – se bem que gostaria! – é que tenho acompanhado os canais deles e gostado muito).

Não possui disciplina suficiente

Certo, então você tem se desvencilhado da “programação mental” negativa e investe em sua Educação Financeira, mas mesmo assim seu patrimônio líquido não cresce. E agora, o que pode estar acontecendo?

Bem, não adianta nada saber muito e não pôr em prática, não é mesmo? Então a minha pergunta para você é: você está tendo disciplina suficiente para exercitar tudo aquilo que tem aprendido? Se sim, você provavelmente tem feito o seguinte:

  1. Fez um levantamento do orçamento doméstico durante dois ou três meses;
  2. Identificou possíveis gargalos (despesas que podem ser eliminadas ou reduzidas);
  3. Aplicou minha regra dos 10%;
  4. Tem estudado consistentemente sobre Educação Financeira, Economia e Investimentos;
  5. Tem investido e acompanhado seus investimentos (seja em renda fixa ou variável);

Se tem feito tudo conforme o planejado, parabéns, mas lembre-se que isso não deve ser feito somente durante três ou seis meses. Você deve cuidar de sua vida financeira ao longo de anos, décadas, e sempre que algo parecer desandar, por mais leve que seja o sinal, deve voltar ao primeiro ponto e revisar tudo. Isso se chama disciplina!

O que você pode fazer para desenvolver sua disciplina? Bem, citei cinco pontos acima interessantes para servir-lhe de pontapé inicial – agora você precisa treinar, treinar e treinar.

Você nem investe!

Essa é a melhor de todas as razões! Há pessoas que reclamam da “falta de sorte”, de ainda não terem se tornado ricas, mas elas nem mesmo investem visando seu futuro!

Há várias formas de investir: você pode investir em si mesmo, aumentando seu capital intelectual e assim garantindo melhor posicionamento no mercado de trabalho ou no desenvolvimento de sua empresa, aproveitar o momento e investir em seu negócio se tiver um, investir em imóveis ou ações ou outra opção, seja fixa ou variável.

As formas de investir são inúmeras! Mas se há tantas opções, por que poucos o fazem? Primeiro por desconhecimento, e segundo por medo. Muitas vezes temos medo de um investimento não dar muito certo, de perdermos dinheiro. Minha sugestão é começar de forma conservadora, investindo naquilo em que o risco é mínimo (investimentos em si mesmo e em renda fixa) e quando achar que está pronto para algo mais arrojado aplicar um percentual baixo de seu patrimônio total, assim as perdas não o abalarão tanto e servirão como um aprendizado.

Quem quiser aprender mais sobre investimentos, dá uma olhada no meu Manual do Investidor (pretendo atualizá-lo ainda este ano).

Ainda está esperando “a grande oportunidade”!

Há aqueles que estão esperando, seja ganhar o grande prêmio da loteria, seja aparecer a “oportunidade de negócio perfeita”. Infelizmente se você somente ficar esperando a “grande oportunidade” nunca aparecerá. Ela não aparece, ela é criada.

Uma das várias frases incrivelmente motivadoras atribuídas ao jogador de basquete Michael Jordan é “Algumas pessoas gostariam que algo acontecesse. Algumas desejam que aconteça. E outras fazem acontecer”. Não é necessário dizer muito mais do que isso, não é?

E então, o que o está impedindo de alcançar sua independência financeira, de ficar rico? Comente aí!

Quer baixar nosso e-book Manual do Investidor?

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *