Faltou dinheiro? Saiba como se utilizar do crédito

Infelizmente, em determinados momentos emergenciais, por mais que não se queira, torna-se imprescindível a utilização do crédito disponibilizado pelos bancos a nossa conta corrente pessoal.

Os produtos financeiros disponibilizados para estes momentos de apuros são vários e vale a pena analisar detalhadamente cada um deles, para tentarmos encontrar os menos onerosos para os nossos bolsos, pois caso contrário, o que poderia ser a nossa salvação, o nosso socorro, pode tornar-se a nossa perdição financeira, aumentando em muito a nossa dívida.

Uma coisa que devemos deixar bem claro é que se socorrer através de uma instituição financeira pode trazer o dinheiro bem rápido e fácil, porém os custos para se pagar tal dívida podem ser muito pesados, portanto, analise muito bem, sobre a real necessidade e pesquise nas várias instituições financeiras a que cobra menos por tal “gentileza”.

Eis os produtos que nos são oferecidos:

Cartão de Crédito

Um produto extremamente interessante e que pode ser muito útil, mas que por ser muito mal utilizado, tem sido o tormento de grande parte das famílias brasileiras, que o utilizam de forma inadequada, gastando mais do que se têm condições de pagar e o preço por tal imprudência é caríssimo, posto que o juro cobrado pelo cartão de crédito é o mais alto do Brasil, entre os produtos financeiros.

  • NÃO SAQUE DINHEIRO COM O CARTÃO DE CRÉDITO: Na utilização do cartão de crédito, evite terminantemente a sacar dinheiro, pois se cobram tarifas adicionais por este serviço;
  • PAGUE O VALOR TOTAL DA FATURA: uma dica importante, é sempre pagar o valor total da fatura. Pagar apenas o valor mínimo do cartão é um comportamento que deve ser banido da sua rotina, pois os juros cobrados são extremamente altos e podem complicar o orçamento domestico;
  • DATA DE VENCIMENTO COINCIDA COM O SEU RECEBIMENTO: Solicite que a data de vencimento do seu cartão coincida com o recebimento do seu salário, pois desta forma, o normal é que você tenha recursos suficientes para quitar a sua fatura em sua totalidade.

Cheque especial ou Crédito Rotativo

É um valor creditado a conta do correntista e se vier a ser utilizado, se paga ao banco, juros e outras tarifas.
À primeira vista, possuir um “cheque especial” representa um status, posto que o banco está lhe considerando como um cliente preferencial e para isto está lhe fornecendo até um cheque com cores diferenciadas.

O banco ainda, normalmente, incorpora o valor deste crédito ao seu saldo e, portanto, você deve prestar atenção para não gastar além do seu verdadeiro capital na conta corrente.

O cheque especial além de tarifas e juros altos por sua utilização, acrescentará ainda uma tarifa de manutenção de conta mais alta.

E entre as dicas básicas de utilização para o cheque especial estão:

  • EVITE O MÁXIMO UTILIZAR O CHEQUE ESPECIAL: é um serviço absurdamente caro, que deve ser mantido na conta apenas como uma segurança adicional para evitar que um cheque seja devolvido por valores mínimos, o que pode ser constrangedor e revoltante;
  • PAGUE O VALOR TOTAL DE UTILIZAÇÃO: Se não teve jeito e você precisou se socorrer deste instrumento, pague-o o mais rápido possível.

CRÉDITO DIRETO AO CONSUMIDOR

É uma linha de empréstimo destinada à pessoa física e que é muito mais barata do que a utilização do cartão de crédito ou o cheque especial.
Costumeiramente, o cliente que possui cheque especial aprovado, também tem aprovação no CDC, bastando ir à máquina de auto-tendimento e simular valores e prazos.
O CDC se caracteriza por possuir parcelas fixas, desde que você não atrase o pagamento.

CRÉDITO CONSIGNADO

É a modalidade mais barata de empréstimo para pessoa física.
Tal serviço é mais barato, pois oferece um risco muito pequeno ao banco, em razão do pagamento ser debitado direto da folha de pagamento do tomador do empréstimo.
Se você é aposentado do INSS, pesquise entre os diversos bancos que oferecem tal serviço e escolha aquele que cobra juros menores, optando sempre por prazos menores, pois oferecem os juros menores também.
Se a empresa em que você trabalha possui convênio de empréstimo consignado com alguma instituição financeira dirija-se até lá e verifique a possibilidade de se fazer e os juros cobrados.

Estas são algumas dicas básicas que se devem ter no caso da imprescindível necessidade de se fazer uso do crédito disponibilizado pelos bancos.

Por Denilson Garcia dos Santos

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o curso Finanças Pessoais]

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *