Estratégias de investimentos financeiros

Quando desenvolvendo suas finanças pessoais, é muito importante ter boas estratégias de investimentos – afinal de contas, o ato de investir é muito importante para quem pretende ter uma boa saúde financeira, fugindo assim dos imprevistos.

Estratégias de investimentos financeiros podem variar muito, principalmente de acordo com a idade do investidor e tolerância a riscos que ele possui. Neste artigo, falaremos sobre algumas das estratégias de investimentos mais adotadas.

Estratégia #0 – Livrar-se das dívidas!

Indubitavelmente, o primeiro passo é quitar suas dívidas completamente! Não adianta pôr em prática uma estratégia de investimentos, quando os juros das dívidas acabam por ser bem maiores que os rendimentos, pois você estará somente a afundar-se ainda mais.

Caso tenha alguma dívida, como contas pesadas no cartão de crédito e financiamento da casa ou do automóvel, comece por planejar como pagar todas essas dívidas, antes de começar sua estratégia de investimento real.

Estratégia #1 – Formação de poupança ou fundo de emergência

Quem está começando a investir deve começar por formar uma poupança ou fundo de emergência, que poderá ser utilizado para a realização de sonhos a curto e médio prazo ou, como o nome diz, em casos de emergência, como uma mudança de emprego, problemas de saúde, etc.

Esta estratégia foca principalmente em garantir que suas finanças pessoais não serão fortemente impactadas por obstáculos repentinos ou pela realização de um sonho que custe um pouco mais (como a compra de uma nova geladeira, a troca de carro ou outro).

A partir de um momento em que tenha poupado não somente o suficiente para seu fundo de emergência, mas também uma certa quantia suficiente para tentar novos tipos de investimentos, podemos partir para uma nova abordagem…

Estratégia #2 – Investimentos em renda fixa a médio e longo prazo

Quando você tiver dinheiro suficiente (não somente para investir bem, mas também para manter ainda sua reserva financeira), está na hora de procurar outras opções que podem ser mais lucrativas.

Se você possui forte perfil conservador, pode interessar-se por opções em renda fixa como títulos públicos, CDBs e certos fundos de investimentos. Quando se investe em renda fixa, o montante aplicado e o tempo que ele permanecerá aplicado são extremamente fundamentais para determinar quando iremos ganhar com isso. No caso de fundos de investimentos e certificados de depósito bancário, a partir de dois anos de aplicação teremos a menor tributação possível, ou seja, teremos o melhor retorno possível dentro dessas aplicações.

Se você possui um perfil mais para o moderado, pode investir uma parte em renda variável (algo como 10% a 15%). Uma opção pode ser a compra de ações em momentos de grande queda na bolsa de valores. Outra opção pode ser a aquisição de cotas em fundos de investimentos que aplicam em renda variável, caso não queira ter que lidar diretamente com decisões de compra e venda de ações.

Uma terceira opção pode ser a aplicação em fundos de previdência privada que trabalham com renda fixa e renda variável – o BrasilPrev do Banco do Brasil, por exemplo. Nesses casos, você pode determinar qual percentual de suas aplicações devem ir para renda fixa e qual deve ir para renda variável.

Lembrando sempre que quanto maior a possibilidade de retorno maior o risco!

Estratégia #3 – Diversificação dos investimentos

Uma estratégia interessante, porém que deve ser bem estudada, é a diversificação dos investimentos. A diversificação busca reduzir os riscos ao “apostar” em diferentes tipos de investimentos. Entretanto, deve-se tomar cuidado com duas coisas:

  • Se não for feita corretamente, o investidor pode ter a ilusão de que está “protegido”, quando na verdade todos os seus investimentos são ainda fortemente relacionados e podem, assim, sofrer queda de rentabilidade juntos;
  • Da mesma forma que reduz os riscos, a diversificação acaba por reduzir, também, o potencial de retorno esperado.

Autores como Kiyosaki apontam que a diversificação deve ser feita não somente dentro do grupo de fundos de investimentos ou mesmo do grupo de investimentos, e sim levando-se em consideração todas as possibilidades de ganhos de capital. Pode-se ter, por exemplo, aplicações em ações e ao mesmo tempo um negócio a partir do qual tenha algum retorno.

Estratégia #4 – Compra e venda de ações

Cuidado, pois este pode ser o “canto da sereia”, isto é, algo aparentemente muito belo que o encanta e, quando menos esperar, estará com problemas.

O mercado acionário é bastante instável, quando comparado a outras formas de investimentos financeiros, e por isso tal tipo de investimento é conhecido como investimento em renda variável. Você pode ganhar muito em questão de dias, mas também pode perder muito.

Quem deseja aventurar-se no mercado acionário deve realmente participar de cursos focados em tal assunto antes de começar, a fim de saber como melhor avaliar oportunidades, quanto capital precisa para entrar no mercado e quando será a hora certa de sair.

Há muitas estratégias de investimentos financeiros diferentes por aí e todas elas podem ser muito boas para você – ou talvez não. Antes de determinar algo, você precisa estudar tanto quanto for possível e começar sempre por aquelas mais simples, com menor rentabilidade, porém com menores riscos, e assim ir migrando para outras opções, quando ciente dos riscos e das vantagens!

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *