Em tempos de crise da Petrobrás, como investir em ações?

Se você não viveu embaixo de uma pedra ou com a cabeça em um buraco nos últimos meses, deve ter acompanhado os inúmeros escândalos envolvendo o nome da Petrobrás e vários políticos do partido trabalhista (PT). Neste artigo, não temos o interesse de analisar quem é o responsável por tudo o que está acontecendo na Petrobrás, mas em vez disso, desejamos entender o atual cenário econômico desta empresa e de tantas outras.

No mundo todo ainda há resquícios da crise de 2008 que assolou os Estados Unidos e vários países europeus. Na verdade, ainda hoje, sete anos depois, a Grécia ainda não se recuperou completamente. E isso tudo deixa quem deseja investir no mercado de ações com um (ou até mesmo os dois) pé atrás. Entretanto, também não pode se falar da queda do valor das ações da Petrobrás como algo repentino, tendo em vista que suas ações vem apresentando queda desde novembro de 2010. Sim, meus amigos, já são quase cinco anos de déficits consecutivos no valor das ações daquela empresa!

Entretanto, apesar de tantas incertezas e pedras no caminho, você não deve considerar como sendo impossível a opção de investir no mercado acionário. Tudo o que você precisa é seguir alguns passos simples porém bem organizados e disciplinados que podem ajudá-lo na tomada de decisões enquanto investidor. Bem, aí vão essas dicas:

1. Defina sua estratégia

O primeiro passo de todo e qualquer projeto – seja ele a construção de um grande prédio ou a prospecção de novos clientes – é definir qual a estratégia que será empregada. A sua estratégia deve ajudá-lo na execução de cada um dos passos seguintes ao planejamento, viabilizando alcançar o objetivo pretendido. Há várias estratégias para investimentos em ações, sendo algumas delas:

a) Buy-and-Sell: Nesta estratégia, você adquire ações de empresas em período de desvalorização com o intuito de vendê-las quando as mesmas se tornarem novamente valorizadas.

b) Day Trading: Nesta modalidade, o investidor realizará operações diárias com o intuito de comprar e vender ações geralmente no mesmo dia, visando o curto prazo (menos de um ano!).

c) Buy-and-Hold: Um pouco similar à primeira, com a diferença de que o objetivo aqui é ganhar dinheiro não somente pela venda das ações compradas anteriormente, mas também por meio dos dividendos gerados pelas mesmas, assim o investidor dá prioridade a mantê-las e lucrar com os mesmos em vez de vendê-las.

Além de definir uma estratégia quanto ao ritmo de compra e venda e à forma como espera lucrar com tais ações, você também precisará definir uma estratégia de avaliação das opções de ações a fim de escolher as melhores para você. Tal estratégia, claro, deve levar em consideração por qual das estratégias anteriores você optou a fim de oferecer-lhe melhor suporte. Duas bastante conhecidas são a estratégia de análise gráfica e a fundamentalista – há muitos artigos e tutoriais explicando estas e tantas outras, estude-as e escolha as que mais se adaptam ao seu perfil.

2. Comece no ritmo certo

Para cada investidor, haverá um valor mínimo e máximo com o qual se deve começar a investir em ações sem expor-se a riscos demais. De minha própria experiência, há um valor mínimo e não deveríamos começar com tão pouco quanto R$ 100,00, como alguns especialistas citam por aí, uma vez que há taxas envolvidas tanto nas operações de compra e venda quanto na custódia das ações. A depender das estratégias que tenha escolhido, tal valor pode diferenciar – para mim, esse “número mágico” ficava em torno de R$ 8.000,00.

De forma análoga, há um valor máximo que você deve investir em ações, este agora correspondendo não a um valor absoluto, mas um valor relativo, um percentual de todo o montante que você tem investido até então. Neste caso, dependerá muito mais de seu perfil de investidor e do tempo que você pretende manter tais ações sob sua custódia. Se você não tem muita certeza de qual é esse número para você, então não ultrapasse o valor inicial máximo de 20% e, a cada semestre, revise os resultados de sua carteira de renda variável (ações) comparados à renda fixa para determinarse deve invertir mais ou menos nelas, ok?

Então, no meu caso, devido às taxas de corretagem e custódia e respeitando meu perfil de investidor e objetivos, começaria com um valor mínimo de R$ 8.000,00 e um valor máximo de 20% em relação à carteira de investimentos total.

3. Siga o plano e controle suas emoções

Investir em ações é cheio de altos e baixos – não são somente as ações da Petrobrás que estão a sofrer grandes oscilações de mercado neste momento. Dei uma rápida olhada nas ações de algumas empresas e, pensando em uma estratégia de comprar e vender ações (buy-and-sell) em um período de médio a longo prazo (mínimo de 18 meses), percebi que empresas na área de tecnologia como Google, Microsoft e Apple estão indo muito bem, enquanto empresas em outros ramos, nem tanto.

A escolha das empresas, quando comprar e quando vender, como reagir diante de uma possível desvalorização ou valorização repentina dos preços etc. tudo isso deve ser levado em consideração durante o planejamento – seguido mais tarde. É muito fácil, em meio a uma desvalorização súbita, desesperar-se e vender suas ações, realizando assim um prejuízo que, se o investidor tivesse se planejado quanto ao que fazer em tal situação, poderia até mesmo reverter-se em lucro.

4. Seja paciente

Apesar das muitas histórias sobre pessoas que ficaram ricas da noite para o dia por meio do mercado acionário, saiba que elas “casos à parte”, excepcionalidades, não a regra. Então, é bem provável que, se você for disciplinado e bom nas escolhas de suas ações, você consiga, a médio e longo prazo, ter um retorno duas ou três vezes superior ao de outras formas de aplicação, mas não conte com o “ficar rico” como meta para os próximos três anos, ok?

5. Aprenda com seus erros

Você vai errar – e muito. Às vezes, isso fará você perder algum dinheiro. É importante que você entenda, em cada uma dessas situações, quais foram os erros que você cometeu e, assim, evite-os nas próximas operações de compra e venda que executar. E não, é praticamente impossível não errar uma vez sequer enquanto investindo, mas você pode melhorar o processo aprendendo com os seus erros e os de outros investidores (você pode ler alguns artigos comentando sobre meus erros aqui, por exemplo).

Algumas das coisas que aprendi foram:
a) Faça todos os cálculos necessários para determinar o valor mínimo para começar a investir em ações e o valor mínimo para cada operação a fim de diluir ao máximo os custos de corretagem e custódia – e uma vez determinados tais valores, respeite-os!
b) Se você não é um day trader, não vale tanto a pena olhar suas ações diariamente, isso só o deixará mais ansioso;
c) Não vale a pena investir em ações de uma empresa baseando-se somente nos gráficos (análise gráfica). Ela é necessária, mas seu real valor aparece quando você alia com a análise da situação que aquela empresa está vivenciando no momento e o potencial de crescimento da mesma (análise fundamentalista).

Bem, estas foram algumas dicas simples que, acredito eu, ajudarão tanto quem deseja investir em ações de uma grande empresa petrolífera qualquer bem como de qualquer outra empresa. E lembre-se: se você quer ganhar dinheiro investindo, precisará planejar e simular situações por meio de uma planilha para estudar como reagir a cada possível caso.

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *