Educação financeira infantil: dicas e orientações para sua realização

A educação financeira infantil é um assunto que está sendo cada vez mais abordado na atualidade para que as crianças compreendam desde cedo a importância e consciência relacionada com o uso do dinheiro.

Desta forma é possível não apenas a sua conscientização com relação ao esforço necessário para a obtenção dos recursos financeiros como também auxilia para o surgimento de adultos muito mais econômicos e organizados neste aspecto de suas vidas no futuro.

Além disso, este tipo de abordagem é muito relevante para mostrar de maneira calma e estruturada conceitos como dinheiro, trabalho, poupança e planejamento no que se refere aos gastos essenciais e os que podem ser deixados para depois.

Diante de sua grande relevância para as crianças da atualidade vamos mostrar em seguida as principais dicas e orientações para conseguir atuar de maneira positiva com relação à educação financeira infantil e outras informações de relevância nesta questão.

Dicas para abordar educação financeira infantil

Este tipo de orientação precisa ser feita não apenas em casa como também nas atividades escolares e pode começar nos primeiros anos de vida de uma criança por meio de ações como a busca de economias através de ações simples a exemplo de apagar a luz, comer toda a refeição para não desperdiçar alimentos ou ainda ter um banho mais rápido com o objetivo de economizar água.

Outro ponto simples, mas de grande relevância para atuar na educação financeira dos pequenos consiste em buscar identificar o seu cotidiano como a realização das horas de lazer, o comportamento relacionado com as compras em casa e ainda como ocorre a abordagem sobre o dinheiro em casa.

Estas abordagens que podem parecer sem grande importância são muito importantes para identificar se o excesso de consumo da sociedade atual está afetando o seu filho ou filha que passa a considerar apenas o que deseja comprar sem considerar a existência de condições reais.

Para auxiliar a evitar estas situações é muito importante ter a capacidade de dizer “Não” às crianças quando pedem algo que não pode ser comprado no momento desejado e este é um dos grandes problemas dos pais modernos na condução da educação financeira das crianças.

Isto acontece porque em virtude da presença cada vez maior de pais os quais trabalham o dia todo ocorre uma necessidade de repor a ausência que tem com relação à vida de seus filhos permitindo a compra e gastos dos mesmos de maneira desenfreada.

Mas esta ação acaba tendo consequências muito graves porque os pequenos irão considerar que podem conseguir tudo de seus pais ou responsáveis com pedidos, carinhas bonitinhas ou ainda por meio de birras e Xerox em público.

Em situações como está é preciso primeiramente tirar a criança do local em que está o objeto de seu interesse porque ela vai se distrair logo em seguida esquecendo-se do pedido feito.

Caso o seu desejo seja acompanhado de choro e birras mantenha a calma, fique de muito bom humor e fique com a mesma postura de não comprar porque desta forma eles irão perceber que esta tática não vai funcionar.

Quando estiver em casa com a criança mais calma explique para ela que neste momento não era possível comprar o seu desejo porque o dinheiro está determinado para outras aquisições mais necessárias permitindo que ela aprenda a diferença entre querer algo e precisar de algo.

Neste caso com a abordagem realizada as crianças passam a entender que o dinheiro é finito e precisa ser administrado para que tudo seja pago da forma correta compreendendo a possibilidade de ganhar o que desejam quando as finanças da casa assim o permitirem.

Como atuar com educação financeira infantil na prática

De maneira mais efetiva é preciso primeiramente ensinar para a criança em que consiste o dinheiro apresentando moedas e notas para o seu conhecimento.

Para que o seu pequeno tenha desde cedo a consciência de que é preciso poupar para depois comprar é interessante dar para ele um cofrinho do formato desejado por ele no qual vão ser colocadas moedas e notas.

Depois de um tempo abra o cofre e compre algo para sua criança com o valor comprovando para ele que não basta apenas gastar, mas que é preciso trabalhar e ter tempo para ganhar o dinheiro destinado à realização dos sonhos de consumo que possuímos.

Para as crianças que tem a partir de 4 anos o cofrinho pode ser substituído por uma carteira como a de um adulto na qual são guardadas as notas de dinheiro ensinando como ocorre o processo de compra como a espera do troco.

Uma forma de praticar este ensinamento pode ser por meio de levar a criança para comprar algo simples como um bombom ou sorvete e ver como ele se comporta festejando em seguida mais uma conquista de seu pequeno.

Mais uma atenção que precisa ser feita se refere ao cuidado no momento dos passeios e momentos de lazer nos quais não deve ocorrer compra de nada para as crianças porque desta forma não ocorre a associação do lazer com o consumo.

Para isso, antes de sair verifique na cidade eventos para os pequenos que não tenham consumo como ir a um parque de exposições, visitar um museu, passear por um jardim botânico, ir pescar à beira de um belo lago ou outras alternativas que não estimulem o desejo de compras das crianças.

Já nos momentos específicos para fazer algum tipo de compra é importante primeiramente ver o que vai ser comprado para elas – brinquedos, roupas, sapatos, material escolar e outras opções – explicando que a sua escolha precisa ser feita de acordo com o orçamento financeiro disponível da família sem ceder para pedidos mais caros.

Nas situações dos sonhos de consumo da criança que contam com maior gasto financeiro faça um compromisso com seu filho ou filha de fazer esta aquisição em datas especiais que possibilitem ter o dinheiro e que ainda possuam um maior significado emocional como Natal, Dia das Crianças, Páscoa, aniversário e outras sendo que esta espera torna o presente muito mais atraente e gostoso.

Indicações de livros a respeito da educação financeira infantil

Como este assunto conta com uma grande variedade de considerações e aspectos existem diferentes tipos de livros os quais podem ser utilizados por pais e professores para auxiliar nesta orientação das crianças como as sugestões que iremos mostrar em seguida neste artigo:

*Quero ser rico: da editora Mais Ativos da autoria de Álvaro Modernell mostra a existência de valores mais importantes do que o dinheiro sendo indicado para crianças até os 8 anos de idade.

*Dinheiro, Dinheirim, moeda no cofrim: da autoria de Itamar Rabelo conta a história de um porquinho que consegue ter dinheiro para comprar o que quer por meio da poupança que faz.

*Coleção Turminha do Cifrão: é um conjunto de 6 livros com personagens lúdicos voltados para o público infantil que fazem a introdução dos princípios relacionados com a educação financeira das crianças.

Portanto, a educação financeira infantil é uma questão importante não apenas no presente, mas para garantir o surgimento de adultos conscientes e centrados no aspecto econômico de sua vida evitando uma concentração demasiada no consumismo exacerbado da atualidade.

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *