Dicas de especialistas em finanças

Olá mais uma vez, amigos do Clube do Dinheiro! Como alguns aqui já sabem, já escrevo sobre gestão do dinheiro desde 2009 e sou fascinado pelo assunto desde que comecei a estudá-lo em 2007, sendo que o primeiro livro que li sobre investimentos foi em 2006. Mas isso tudo faz de mim um entusiasta, não um especialista em finanças, sendo assim decidi ir um pouco além e, em vez de trazer somente minha experiência e conhecimentos, dessa vez realizei uma pesquisa na Internet a fim de selecionar também dicas de outros entusiastas e consultores especialistas.

E não é nenhuma surpresa para mim que, no fim das contas, coincidem em muito com aquilo que discutimos e recomendamos aqui. Claro, estamos falando do mesmo assunto e, se formos bastante racionais, as visões acabam sendo muito parecidas. Bem, de qualquer forma, selecionei seis dicas e estou discutindo-as aqui para o conhecimento de todos. E aqui vão as dicas.

Dica #1 – Busque fontes sérias sobre finanças e outros assuntos relacionados ao dinheiro

Não desperdice a oportunidade de ler um bom livro ou acompanhar um site confiável quanto ao assunto!

Informação é vital. Sem a informação certa você não saberá como gerir suas finanças – e se você não sabe como gerir suas finanças, muito dificilmente alcançará seus objetivos. Desta forma, você precisa estar sempre atento e atualizado.

Há dois possíveis extremos aqui: a total ausência de informação, quando você não procura aprender coisas novas sobre gestão do dinheiro, e a “overdose de informação”, quando você passa tanto tempo a ler mais e mais sobre gestão do dinheiro que, em vez de ajudá-lo, acaba por atrapalhá-lo na tomada de decisões. Nenhuma das duas situações são interessantes e por isso recomendamos que identifique fontes confiáveis e respeitáveis e tome-as como base em seu aprendizado e/ou atualização.

Selecione dois ou três blogs ou sites que são focados no tema e compre um ou dois livros sobre assuntos relacionados a finanças que sejam do seu interesse – este será seu ponto de partida em sua atualização nos próximos três ou seis meses.

Dica #2 – Siga o “tripé” ganhar mais, gastar menos e investir melhor!

Revise periodicamente (talvez mensalmente) para descobrir novas formas de gastar menos e ganhar mais.

Muitos querem saber como ficarem ricos, mas a verdade é que, ao contrário do que muitos pensam, não há uma fórmula mágica! Se você quer realmente ganhar dinheiro, você precisará concentrar-se em aumentar as entradas (receitas) e reduzir as saídas (despesas).

Se o que você ganha é superior ao que você gasta estaremos diante de uma situação de “superávit”, onde dinheiro irá sobrar no seu caixa. Se, pelo contrário, o que você ganha é inferior aos gastos, então estará enfrentando um “déficit”. Como é de se imaginar, deve-se sempre buscar um superávit em nossas finanças pessoais ou familiares, por mais difícil ou sofrível que pareça ser. E, como já dissemos anteriormente, o segredo para isso é saber controlar o orçamento e buscar oportunidades para ganhar mais sempre que possível.

Dica #3 – Planeje visando curto, médio e longo prazo

DICA: Esteja sempre atento ao seu extrato financeiro hoje, mas lembre-se que o amanhã é tão importante quanto.

Quando em momentos de crise financeira, é muito comum ignorarmos o médio e longo prazo e pensarmos somente no hoje, o que acaba por ser um erro, pois se não traçamos um plano pensando em melhorar nossa situação ao longo de nossa jornada, é bem provável que não mude positivamente nossa situação financeira com o tempo.

Em contrapartida, um outro erro cometido por quem decide finalmente mudar sua vida financeira é focar demais nos objetivos a longo prazo e acaba por esquecer nas metas a curto prazo. Resultado: o plano acaba mostrando-se inviável, pois não há como alcançar os resultados de longo prazo quando há problemas severos no curto prazo.

Sendo assim, calcule e planeje bem como alcançar cada uma de suas metas, lembrando-se sempre que há o curto (menos de um ano), médio (de um a três anos) e o longo prazo (acima de três anos).

Dica #4 – É importante criar o hábito!

Alcançar objetivos de longo prazo é muito mais fácil quando cria-se bons hábitos na gestão financeira.

Muitos consideram que o sucesso da boa gestão financeira encontra-se na quantidade de dinheiro que se gere. Apesar disso ser, em parte, muito importante, igualmente importante é o desenvolvimento de bons hábitos de gestão.

Por exemplo: quem tem o hábito de combater o desperdícios de recursos (água, eletricidade, etc.) frequentemente terá contas a pagar menores. Quem possui o hábito de analisar as várias opções de ativos financeiros periodicamente poderá escolher melhores opções para aplicar seu dinheiro. E quem possui o hábito de tomar nota dos resultados financeiros de cada decisão própria poderá maximizar o retorno obtido em suas próximas decisões, não concorda?

Dica #5 – Saiba escolher suas ferramentas

A ferramenta boa para você não é aquela que seu amigo lhe indica, é aquela que você efetivamente usa!

É cada vez mais comum a adoção de ferramentas informatizadas para diversos propósitos, inclusive na gestão financeira. A escolha de uma boa ferramenta para a gestão de seu dinheiro pode facilitar a tarefa de analisar o quanto se ganha e o quanto se gasta.

Entretanto, aqui é importante abrir parênteses e explicar que apesar de certas ferramentas serem bastante populares e úteis para muitas pessoas, isso não significa que aquelas mesmas ferramentas são as melhores escolhas para você! E como saber qual é a melhor escolha? Bem, só há um jeito: experimentando!

Crie uma lista com as cinco ou seis ferramentas que cabem no seu bolso e ordene-as (uma possível ordenação pode ser o preço, começando assim pelas gratuitas ou mais baratas). Depois disso, tome a primeira ferramenta e teste-a por dois meses ou mais (você precisa testá-las de verdade! Não adianta instalar ou criar conta de usuário e não usar!). Se depois desse prazo você não está satisfeito ou não consegue usá-la facilmente, então é hora de testar a próxima ferramenta da lista, até encontrar uma que funcione para você!

Dica #6 – Aprenda um pouco sobre investimentos financeiros

Investir é uma forma de fazer o seu dinheiro trabalhar para você

Há muitas formas de ganhar dinheiro e uma delas é por meio de rendimentos provenientes de investimentos financeiros. Então, por menor que seja a quantidade de dinheiro que você consiga economizar, é mais inteligente tê-la aplicada em algum investimento (mesmo que seja a caderneta de poupança) do que deixá-la parada em sua conta corrente ou, pior ainda, em uma “lata de biscoitos” em sua casa!

Claro, se você deseja investir em opções muito arriscadas como ações então precisará de um bom conhecimento no assunto, uma boa quantia em dinheiro para investir e de algum tempo disponível para ficar sempre acompanhando as variações do mercado. Se você não possuir um desses requisitos, aconselho a esperar até o momento certo. É melhor investir em algo menos arriscado até chegar a hora certa do que investir antecipadamente e acabar assumindo um prejuízo maior do que tolera!

E então, o que achou dessas dicas? Para mim, ficou bem óbvio que nossas discussões sobre educação financeira e como cuidar do nosso dinheiro estão indo no rumo certo ou, ao menos, consoante com o que muitos outros também estão discutindo, não? E você, meu amigo leitor, gostaria de adicionar outras dicas de especialistas em finanças?

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *