Definição das oportunidades de negócios online – prática

Definição das oportunidades de negócios online – prática

Agora sim estou em uma tremenda enrascada! Jeniffer já conseguiu explanar muito bem este assunto em seu artigo Definição das oportunidades de negócios online – teoria, de tal forma que não sei se conseguirei fazer uma contribuição que chegue ao menos à altura da contribuição dela, mas vamos tentar, não é? 😉

Comecemos então falando um pouco mais sobre os modelos de negócio. A divisão dos diversos negócios online em quatro principais grupos é bastante interessante, mas incluirei um quinto grupo aqui (o qual “inventei” agora) e já já vocês entenderão por quê. Tentaremos agora enxergar alguns dos modelos de negócios mais populares dentro de cada grupo, ok?

  • Comércio misto – como Jeniffer disse, trata-se do comércio de itens físicos ou digitais utilizando-se do meio online como forma de expandir o alcance de seu empreendimento, mas mantendo ainda toda a estrutura física. A principal vantagem desta abordagem é o fato de que se pode utilizar a atual estrutura física para o armazenamento do produto, bem como para a administração não somente da loja física mas também da loja virtual. Muitas empresas que no passado mantinham somente lojas físicas possuem hoje suas lojas virtuais, o que ajuda muitas vezes a reduzir certos custos e, assim, apresentar um preço mais baixo que as concorrentes que apresentem somente lojas físicas. Nada impede que o contrário também ocorra, isto é, que uma loja totalmente virtual instale mais tarde uma loja física para melhor assessorar suas atividades bem como desenvolver novos pontos de venda. O principal modelo de negócio aqui é então:
    • Lojas virtuais aliadas a lojas físicas, vendendo diversos produtos físicos e digitais, em uma estratégia interessante e capaz de expandir o alcance sobre seu público-alvo;
  • Comércio virtual – a partir da ideia de ter uma loja virtual capaz de vender produtos, percebeu-se que o número de vendas pela web pode ser relevante o suficiente para desenvolver-se tal modelo de negócio sem a necessidade de uma loja física, com isso passamos a reduzir certos gastos com aluguel (e quem já teve uma loja física sabe que o aluguel em um lugar bem posicionado para vendas pode ser muito caro!), mas não quer dizer que não teremos outros – no caso de uma loja virtual deve-se ter trabalho redobrado no marketing online e offline, uma vez que não há pondo de venda visível. Além disso, ainda se faz necessário o espaço para armazenamento dos produtos. E aqui estão os principais modelos de negócios:
    • Lojas virtuais não vinculadas a lojas físicas, vendendo diversos produtos físicos e digitais, mantendo seu próprio estoque;
    • Drop Shipping, isto é, a venda sem a necessidade de manter um estoque próprio, uma vez que é o próprio fornecedor do produto encarregado de enviar para o consumidor final;
    • Loja de afiliados, isto é, um sistema onde se apresentam vários produtos ao consumidor, mas que na verdade trabalha como um intermediador ao vender produtos de outras lojas virtuais ou físicas a fim de ganhar comissões;
  • Comércio virtual puro – similar ao item anterior, mas agora com uma grande diferença: sem produtos físicos, somente virtuais. Com isso, temos vantagens como eliminação de despesas com ponto de venda físico e armazenamento de produtos bem como o inventário agora pode ser considerado de tamanho infinito. Por exemplo, se você vende e-books, não está limitado à quantidade de livros impressos, uma vez que se trata de um arquivo digital, pode-se vendê-lo a inúmeras pessoas. Aqui, o maior “vilão” é, agora, possíveis falhas de segurança no processo de pagamento (aconselho o uso de sistemas de pagamento como PagSeguro e PayPal para reduzir tais dores de cabeça!) bem como a pirataria, a distribuição de seu produto para outras pessoas que não tenham pagado pelo mesmo. Apesar de ser este um problema sem solução final ainda, algumas medidas podem ser tomadas para tentar reduzi-lo, mas falemos sobre isso em outra hora. E aqui estão alguns modelos de negócio dentro desse grupo:
    • Lojas virtuais especializadas em produtos digitais dos mais diversos tipos: ebooks, pacotes gráficos, pacotes de artigos, etc.
    • Sites de educação à distância, oferecendo cursos dos mais diversos tipos: programação, fotografia, dança, etc.
    • Sites de subscrição de membros (membership sites) – neste modelo, o interessado paga um valor único ou mensal para participar de uma comunidade fechada para determinados fins, como troca de experiências, recebimento de pacotes de artigos, recebimentos de ebooks com direito de revenda, etc.
  • Profissional especializado – se você possui alguma experiência que pode ajudar a desenvolver o negócio, o lado profissional ou afetivo de alguém à distância, então é aqui onde você pode se encaixar! Se você se interessa por este meio, duas palavras para você: freelance e outsourcing. Estas são as duas palavras “de lei” aqui e é por onde você deveria começar a pesquisar para conhecer mais este meio, ok? Geralmente, há sempre algo em que somos bons e que podemos ajudar outros. Auxílio em um curso de fotografia, por exemplo, ou na criação de alguns gráficos para um novo site. E se você pode fazer isso de sua casa, pela web, então… seja bem-vindo aos negócios! Alguns principais modelos de negócios aqui presentes são:
    • Consultoria virtual;
    • Desenvolvimento de websites;
    • Desenvolvimento de pacotes gráficos;
    • Programação de sistemas;
    • Serviços de escrita e editoração de artigos;
  • Publicitário – realmente precisava “encaixar” um quinto grupo aqui para falar sobre um modelo de negócio que, apesar de não estar diretamente envolvido com a venda de um produto e de não ser pago diretamente pela experiência cedida (como ocorre no grupo “Profissional especializado”), mantém-se como uma das oportunidades virtuais rentáveis no momento, uma vez que se apoia na venda ou locação de espaço publicitário em um local dedicado à informação. Perceba então que o modelo de negócio aqui busca rentabilizar-se por meio da publicidade, em outras palavras funciona mais ou menos assim: presto algum tipo de serviço gratuito (geralmente de caráter informativo) à população e, a fim de tornar tal negócio sustentável, “vendo” espaço para publicidades, assim outras empresas (geralmente pertencentes aos outros grupos) podem interagir com meus leitores. O leitor ganha com o serviço que presto, a empresa “advertiser” ganha mais um canal para comunicar-se com o público e eu ganho dinheiro por ter intermediado esta relação. Apesar de parecer bastante simples dito assim, é um modelo de negócio que exige bastante seriedade e responsabilidade, principalmente no que tange quanto à sua interação com seu público – óbvio, se seus leitores não gostam de seu trabalho, você os perde e, sem eles, sem empresas publicitando em seu website. Os principais modelos de negócios aqui concentram-se nos seguintes:
    • Blogs, sites e newsletters informativas podem ser encaixados neste grupo.

E agora, vem a melhor parte: toda essa discussão até aqui foi somente para determinar o modelo de negócio. Depois disso, há a discussão sobre o tipo de produto ou informação que irá trabalhar-se! Por exemplo, o Clube do Dinheiro melhor se encaixa no modelo publicitário (e por isso eu não poderia deixar de mencionar tal grupo aqui!), mas qual é o nosso foco? Qual o nosso tema central? Exato, dinheiro! Falamos sobre investimentos, negócios online e offline, finanças pessoais, etc. Tudo em torno do assunto dinheiro.

Se olharmos agora um outro blog meu, Nutrição em Foco, veremos que o mesmo também se apresenta no modelo publicitário, mas o tema central agora é nutrição. Entendeu a ideia? Para qualquer um daqueles modelos de negócios há inúmeros produtos, “temas” que podem ser trabalhados! Na verdade, é melhor usarmos o termo nicho do que tema, ok? 😉

“E agora, qual o melhor nicho para mim?” , você deve estar se perguntando.

Esta parte é muito, realmente muito importante, mas há algumas dicas que você pode seguir:

  • Quais assuntos lhe interessa? Hipismo? Futebol? Relacionamentos amorosos?
  • Quais assuntos você domina? Desenvolvimento de programas? Automobilismo?
  • Quais assuntos apresentam maior demanda na web? Lembre-se: as pessoas sempre estão procurando por informação e produtos aqui!

Tente “casar” essas informações e determinar aonde você pode ser mais útil e, ao mesmo tempo, divertir-se com o seu trabalho.

É possível divertir-se enquanto trabalha?

Não vou dizer que será igual a estar em um parque de diversões, mas eu, por exemplo, amo escrever para o Clube do Dinheiro (talvez seja por isso que este artigo já está com mais de 1350 palavras!) e conversar com vocês sobre dinheiro, então posso dizer, sim, que me divirto um pouco aqui.

Espero, com o decorrer deste curso, falar mais sobre o assunto, mas vou dar uma última dica extremamente valiosa:

Escolha sempre algo possivelmente ligado a informação ou produtos de grande interesse da população. É muito mais fácil ganhar dinheiro com um website sobre “saúde da mulher” do que com um sobre “educação piagetiana”, uma vez que o primeiro possui um alcance bem maior quanto à audiência. Claro, não quer dizer que você não possa ganhar dinheiro com o segundo, mas precisa estabelecer bem o seu público (no caso, provavelmente escolas, professores e pais de alunos) e saber como abordá-lo!

[Este artigo faz parte de uma série que compõe o curso Análise da viabilidade de um negócio online]

Quer baixar nosso e-book Manual do Investidor?

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *