Como investir em ouro

Investir em ouro é considerado um investimento seguro, especialmente em tempos de crise. E pode ser realizado por qualquer pessoa. O ouro é comercializado na Bolsa de Valores, através de contratos – firmados geralmente em lotes de 250 gramas. Para participar das negociações, é necessário que o investidor faça a abertura de uma conta em uma corretora de valores mobiliários.

Após realizar a aquisição, o pequeno investidor pode deixar o ouro na própria Bolsa de Valores ou em bancos cadastrados para oferecer esse serviço. É necessário adquirir um seguro e pagar a taxa de administração da instituição financeira.

Mas, para quem não tem R$20.000 para fazer o investimento ou então não quer ter que abrir uma conta em uma corretora, tem a opção de receber o metal físico. As empresas que oferecem o serviço de entrega de ouro aqui no nosso país são a OM DTVM e a Marsam DTVM, que cobram geralmente 1% do valor do metal.

A compra do ouro pode ser feita pela internet ou por empresas especializadas. No caso de o pequeno investidor querer vender o ouro, ele pode ser recomprado pela mesma empresa que realizou a venda do metal. Para saber mais, acesse www.ourominas.com e www.parmetal.com.br, que são especializadas na negociação de ouro.

Investir em ouro é uma ótima opção para quem quer fugir dos maus momentos da Bolsa de Valores, como a crise mundial de 2008, por exemplo. Outro benefício é que o único tributo a ser pago é o imposto de renda, que é de 15% sobre o lucro.

Mas, apesar dos benefícios, existem algumas restrições: a cotação é realizada em dólar, o que nem sempre é bom para o investidor. Além disso, o metal não rende se ficar parado no período de um mês, sem ser negociado. Muitos bancos já têm capital protegido, que repassam ao cliente a variação do ouro, entre eles: o Banco do Brasil, o Credit Suisse Hedging Griffo, o HSBC e o Itaú.

Se você pretende investir em ouro, você precisará estudar bem o mercado, ter paciência e determinação. Mas, no caso de uma crise, o ouro é uma excelente aposta, já que se torna um ótimo caminho para os investidores, mas, sem crise, o ouro pode não ser um investimento tão bom assim, uma vez que os investidores deixam de apostar no ouro para poder aplicar em outros títulos.

Compra de Joias

A aquisição de jóias de ouro é outra forma de investimento, principalmente porque elas se valorizam quando as cotações se elevam. Mas é necessário lembrar que elas não são totalmente feitas de ouro – são formadas também de ligas metálicas (misturas de outros metais). As joias e barras de ouro podem também ser penhoradas se a pessoa estiver precisando de dinheiro e podem ser recuperadas posteriormente. Aqui no Brasil, a Caixa Econômica Federal é quem efetua as operações de penhor.

Tem como comprar ouro tendo pouco dinheiro?

Tem sim. Através do mercado de balcão, onde o interessado pode comprar a quantidade de ouro que quiser, mesmo sendo em pouca quantidade. Existem diversas corretoras que negociam o metal e a pessoa pode adquirir até R$ 10 mil (determinado pelo banco central). Para valores superiores a R$ 10 mil, a compra pode ser feita via depósito.

Normalmente são vendidas as barras de ouro de 250g, mas podem ser também disponibilizadas em pouca quantidade, de 1g a 10g, de tamanhos e formatos escolhidos diretamente pelo investidor.

A aquisição é bastante simples e direta: a pessoa escolhe a quantidade de ouro desejada, realiza o pagamento através de um boleto bancário (até R$ 10 mil). Então, o metal é enviado pelos Correios via SEDEX, juntamente com o AR (Aviso de Recebimento), que é entregue diretamente em mãos, a nota fiscal e o certificado de garantia. Caso o pequeno investidor resolva vender o ouro, é só levá-lo até a sua corretora ou então enviá-lo pelos correios em até três dias úteis.

Por Danielle Batista

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *