Como comprar mais e gastar menos dinheiro

Geralmente, falamos sobre como ganhar dinheiro. Entretanto, não adianta saber ganhar dinheiro se não soubermos gastá-lo, pois se isso acontecer, tudo o que ganhamos será gasto em coisas supérfluas e caras e somente percebemos o erro  quando já for tarde demais, sendo assim, precisamos aprender como comprar mais e gastar menos dinheiro!

No início deste ano, escrevi um artigo intitulado Indo às compras e gastando menos dinheiro no Giga Mundo. A ideia do mesmo é muito boa e tão válida que decidi tornar a falar sobre o assunto, por ser uma “receita” que eu emprego em minha vida sempre que vou fazer compras.

Não, não se preocupe, não estou aqui somente para repetir o que lá escrevi. Em vez disso, vou demonstrar como pomos em prática cada um dos passos que lá estão explicados. Você pode não acreditar, mas é assim que nós fazemos quando vamos às compras! 🙂

E gostaria de ressaltar que quem mais se preocupa em comprar mais e gastar menos dinheiro não é aquele que não tem dinheiro, mas sim aquele que se preocupa com o seu dinheiro. Isso explica porque tantas pessoas passam o tempo a “inventar desculpas”, a dizer que infelizmente não conseguem fazer o mesmo por esta ou por aquela razão. Eu também não tinha dinheiro, fui fazendo a coisa certa sempre, persistindo, e hoje posso dizer que sei muito bem como lidar com meu dinheiro – então você também pode aprender!

Bem, como íamos dizendo, vamos começar pelo primeiro passo para que possamos fazer uma boa economia

Passo #1 – Mantenha uma lista de compras

Essa dica é a mais importante de todas: se você não mantém uma lista de compras, não sabe o que deve comprar, logo não sabe quanto vai gastar. E lá vai dinheiro pelo ralo!

Faça uma lista de coisas a comprar. Sempre que algo estiver acabando, tome nota, principalmente de itens não perecíveis, como material de limpeza e higiene, utensílios, etc.

A partir da lista, você terá uma noção melhor de quanto deveria ser o seu gasto.

Em minha casa, geralmente é minha esposa a responsável por manter a lista de coisas a comprar. Devido à pressa para elaborar e pouco tempo para ficar mantendo, acabamos sempre por anotar somente 65% de tudo o que precisamos comprar, logo quando avalio a lista e busco compreender quanto gastaremos, sempre somo algum valor mais.

Entretanto, quanto mais exata a lista, melhor, principalmente se já destacar na mesma quais itens não são perecíveis (mais à frente você entenderá por quê) e quais podem sofrer variação de preço em breve (estamos quase no fim do ano, os próximos meses são bastante festivos, o que pode significar aumento nos preços de vários artigos do lar).

Após isso, escolher o lugar certo para comprar é o próximo passo que sempre executamos.

Passo #2 – Lojas atacadistas – comprar mais e mais barato é sempre o melhor negócio

Lojas atacadistas que vendem para pessoas físicas são excelentes formas de economizar. Pena que geralmente se encontram um pouco mais longe, o que nos obriga a usar um táxi no mínimo na volta. Neste caso, é bom que a economia na compra seja realmente recompensadora! 😀

Então o segredo é: comprar mais e mais barato. Simples, não? Obviamente, como você estará comprando mais, deve tomar cuidado com os prazos de validade. Sendo assim, geralmente dê preferência por comprar (bem) mais itens que não são perecíveis, pois poderá “estocá-los” em casa, sem prejuízo da qualidade do mesmo.

Geralmente quando falo isso, vejo alguém torcer o nariz e dizer: “ah, mas não tenho dinheiro suficiente para fazer isso, só dá para fazer as compras para cada período de quinze dias”. Quando ouço isso, ignoro a pessoa. É perceptível que está “desistindo antes de lutar”. Como disse, eu também não tinha muito dinheiro para fazer compras, sendo assim, primeiro tratei de fazer algumas economias, depois, juntei mais o dinheiro para as compras do mês e tratei de ir a um atacadista, pronto para comprar o máximo possível por lá.

Obviamente não foram tantos itens assim nas primeiras compras, mas com a economia que conseguia em uma, conseguia comprar mais itens por lá na próxima vez, aumentando assim a economia conseguida. Na última vez que fomos comprar, decidi gastar cerca de R$ 750,00 (nossos almoços são encomendados, então os mesmos não são inclusos nas compras de supermercado). Lotamos completamente dois carrinhos de compra e o valor no final foi de… R$ 675,70! Eu já imaginava que desta vez tinha estourado o nosso limite. 🙂

Passo #3 – Avaliando custo x benefício e definindo quantidades

Como disse anteriormente, o segredo é comprar mais e mais barato e nisso devemos incluir a análise de produtos e marcas. Certos produtos muitas vezes possuem níveis de qualidade quase idênticos mais, por uma marca ser mais famosa que a outra, o preço é até três vezes mais alto!

Em lojas atacadistas, então, você pode conseguir um desconto ainda melhor se você comprar a quantidade mínima exigida de cada produto para alcançar certos descontos. Eu, por exemplo, sou fanático por isso: geralmente quero comprar a quantidade mínima necessária para conseguir o máximo desconto possível. Você acredita que compro 25 pacotes de leite desnatado, pois esta é a quantidade necessária para conseguir um desconto de 20 ou 30 centavos por pacote? 🙂 .

Você até pode achar que é exagero meu, mas se fizer as contas, 20 centavos de desconto por pacote em 25 pacote já significa R$ 5,00 de economia. E estamos falando isso somente no leite. Contabilize todos os outros itens e perceberá que eu posso economizar R$ 150,00 a R$ 200,00 comprando desse jeito!

E como disse, sempre experimento as marcas mais baratas e escolho aquelas de melhor qualidade. Custo x benefício, lembra? Custo x benefício. Não adianta escolher uma marca barata demais mas sem qualidade, ou uma marca com alguma qualidade, porém muito cara.

Muitas pessoas torcem o nariz na hora de trocar sua “marca favorita” por uma menos cara. Bem, das duas uma: ou você abre mão de falsos princípios e começa a perceber que quem lucra com isso é a empresa da “marca favorita” e não você, ou você vai continuar reclamando que os produtos estão caros demais sem dar oportunidades a outras marcas para provarem que também são de grande qualidade.

Passo #4 – Forma de pagamento? À vista, claro!

Se você é do tipo que precisa parcelar no cartão por não ter dinheiro para as compras, acho melhor que comece a ler Como sair do vermelho e ainda ganhar dinheiro? pois você pode não ter reparado, mas já se encontra no vermelho financeiro!

Lembre-se que cartão de crédito não é dinheiro, mas sim uma forma de crédito, como o próprio nome diz, e como você já deve imaginar crédito não vem de graça. Então se você usa crédito hoje, de alguma forma estará pagando amanhã por isso, quer você perceba ou não.

Sendo assim, se você precisa usar o cartão, estude a situação e vá corrigindo-a para que, aos poucos, deixe de usá-lo e passe a pagar em dinheiro (ou opção de débito, pois ninguém é louco de carregar R$ 750,00, por exemplo, por aí, não é?).

No nosso caso, isso é até uma exigência, já que o atacadista escolhido não permite o pagamento por meio de cartão de crédito, uma forma de proteção quanto ao risco de crédito que lhe permite oferecer melhores preços e condições. Sorte a nossa! 😀

Bem, até aqui, sem muitas novidades, não é? Então agora lá vai uma…

Passo #5 – Pesquise preços na Internet também!

Se você pretende comprar livros, eletrodomésticos, eletrônicos ou tantas outras coisas que pode encontrar pela Internet, pode ser uma boa ideia pesquisar também nas lojas virtuais.

Comprar em uma loja virtual pode ajudá-lo a conquistar grandes economias – notebooks e computadores, por exemplo, podem sair até R$ 300,00 mais barato! Como estive até agora citando exemplos vivos, aqui vai mais um: meu notebook (este em que escrevo agora), o computador de minha irmã e outros três computadores foram comprados em loja virtual.

Entretanto, vale salientar que quando o assunto é compras pela Internet, deve-se atentar quanto à credibilidade da loja virtual a fim de evitar problemas posteriores!

Passo #6 – Planejamento sempre!

Você deve ter percebido que começamos nossa lista de passos com um planejamento, isto é, a confecção de uma lista de compras. Nada melhor que encerramos esse ciclo com mais planejamento, verificando o que deu certo, o que não deu, como corrigir falhas e agendando o próximo período de compras.

Algumas pessoas compram quinzenalmente, outras mensalmente. Como comentei, há certos itens que podem ser armazenados por meses se necessário, de tal forma que você deveria programar-se de forma a levar isso em consideração também.

Em nosso caso, já planejamos quando iremos fazer compras de novo, quais serão as prioridades e quanto deveremos gastar (sempre opto por gastar mais do que na última vez, pois como compramos visando armazenar o excesso, nós conseguimos até mesmo evitar a inflação de certos produtos, o que vale bastante a pena.

Além da economia de dinheiro, há também a economia de tempo proporcionada pelo planejamento. E como vocês sabem, tempo é dinheiro, então acaba sendo muito útil tal economia. 😉

Bem, acredito que agora você deve ter compreendido a importância de investigar preços e planejar suas compras. Se após todos esses passos você não conseguir ver benefícios ou por em prática o que falamos, aconselho firmemente que leia nosso artigo Como sair do vermelho e ainda ganhar dinheiro? pois você pode não ter percebido, mas poderá estar entrando lentamente no vermelho financeiro.

E você, também possui dicas sobre como comprar mais e gastar menos dinheiro? Compartilhe-as conosco!

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *