CDB Pós-Fixado

Olá a todos os amigos do Clube do Dinheiro! Estamos de volta com mais um artigo, desta vez sobre CDB Pós-Fixado!

Escolhi falar sobre esse artigo hoje mediante a dúvida de Suzy, leitora de nosso blog. Abaixo, segue seu comentário:

Boa noite Christiano
Quando possível, gostaria muito que falasse sobre a aplicação no CDB Pós fixado. Ouvi dizer que além do desconto do imposto de renda no momento dos resgates, independentemente do resgate ou não, duas vezes por ano, se não me engano, em maio e novembro também é descontado um valor “x” do rendimento do investidor. Até que ponto é verdade? Aguardo retorno.

Bem, Suzy, em vez de somente responder à sua dúvida, decidi fazer um estudo mais aprofundado e trazer o melhor que pudesse sobre investimentos em CDB Pós-Fixado, ok? Vamos lá!

Introdução ao CDB Pós-Fixado

O certificado de depósito bancário (CDB) pós-fixado trata-se de um investimento en renda fixa em que o rendimento é pós-fixado, isto é, vinculado a um determinado índice, como a TR (taxa referencial) ou CDI (certificado de depósito interbancário), e pode ter liquidez diária ou não.

Cada instituição financeira possui um “pacote” de tipos de CDB em que se pode aplicar, alguns referenciados pela TR, outros pelo CDI, como mencionado anteriormente. No momento da aplicação o cliente pode, então, escolher entre um deles.

Na verdade, no caso de CDBs referenciados pelo CDI, o que ocorre é que aquele título é referenciado por um percentual do CDI, que pode variar de banco para banco, bem como de acordo com o montante investido. Desta forma, em certos bancos pode-se conseguir um rendimento de 89% do CDI e em outros um valor de 97% ou mais do CDI e, de forma análoga, quanto maior o valor aplicado, maior será o percentual atingido.

Este é um detalhe muito importante na hora da contratação, principalmente quando o montante a ser aplicado é razoavelmente grande (acima de R$ 100.000,00, por exemplo) pois ao longo do tempo a escolha da instituição a aplica pode significar centenas de reais a mais ou a menos por ano!

Tributação

Em aplicações desse tipo, as seguintes tributações ocorrem:

  • IOF – caso o resgate seja feito num prazo menor que 30 dias, há incidência de IOF regressivo, começando com 96% do rendimento e terminando, no trigésimo dia, em 0%;
  • Imposto de renda – todo CDB é tributável e a tabela é a mesma que apresentamos em nosso artigo anterior sobre CDB, isto é:
  • Alíquota de 22,5%, caso o dinheiro permaneça aplicado por tempo menor ou igual a 180 dias;
  • Alíquota de 20,0%, caso permaneça por 181  a 360 dias;
  • Alíquota de 17,5%, caso permaneça por 361  a 720 dias;
  • Alíquota de 15,0%, caso permaneça por mais de 720 dias.

E só, não há cobrança de mais nada! Sua dúvida deixou-me até curioso e decidi perguntar ao gerente de minha conta bancária (você está me devendo uma, pois ele estava de férias e precisei ligar para o celular dele! 🙂 ) e ele me confirmou, não há nenhuma outra taxação sobre o rendimento de um CDB Pós-Fixado.

O que pode acontecer é você aplicar em algum fundo de investimento que aplique parte de seus rendimentos em um título de CDB, neste caso há a taxa de administração, mas é uma taxa do fundo de investimento, não do CDB (e convenhamos, participar de um fundo de investimentos que aplique somente em algo que você pode facilmente aplicar sozinha e ainda lhe cobrando uma taxa não é a atitude mais inteligente!).

Quando um CDB Pós-Fixado é interessante

Geralmente quando você apresenta um bom capital (no mínimo, R$ 60.000,00) para aplicar, o banco apresenta opções de CDB interessantes (com rendimento de 97% do CDI ou superior a isso) e a expectativa é de que a taxa básica de juros cresca (taxa básica de juros crescendo, CDB pós-fixado crescendo junto).

Deve-se lembrar, porém, que o Fundo Garantidor de Crédito garante somente até o valor de R$ 70.000,00 por pessoa, de tal forma que é bom fazer sua aplicação em uma instituição sólida!

Os tipos mais populares de CDB são com certeza aqueles referenciados pelo CDI, então você deveria manter um olho neles.

Para investidores conservadores, investimentos de baixo risco (CDB, título público, caderneta de poupança, etc.) geralmente atingem um percentual de 70% ou mais de sua carteira. Lembre-se disso quando estiver montando a sua!

E então, Suzy, pergunta respondida? 😉 E você, amigo leitor, possui dúvidas sobre o CDB pós-fixado? Se sim, vamos lá, comente, estamos aqui para falar sobre isso!

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *