Há uma hora certa para começar a investir em ações?

Quem está começando a investir e ainda não conhece muito bem as opções, deveria começar pela caderneta de poupança – uma opção segura que lhe garante o menor risco possível. Entretanto, quando se fala em dinheiro, quanto menor o risco, menor o prêmio, isto é, o retorno financeiro. Já no caso das ações, a valorização das mesmas se deve ao bom crescimento das empresas acrescido da expectativa de crescimento ainda maior que há por parte dos investidores, podendo levar as tais ações a crescimentos extraordinários em pouco tempo. Mas é importante salientar que, da mesma forma que podem crescer muito, as ações podem também ter grandes quedas em seus preços, por razões análogas.

E é aqui onde nos encontramos, nós, meros pequenos investidores, perguntando-nos se esta é uma boa hora para investir menos na caderneta de poupança e começar a investir em ações – ou não. Como saber se esta é realmente uma boa ideia? Na falta de maior experiência, é bom refletirmos bastante sobre o assunto.

Quando abrimos uma conta-poupança, geralmente não há taxas para a abertura ou para a manutenção dela. Outra coisa a se observar é quanto à dedução de imposto de renda: você não precisará pagar impostos sobre seus rendimentos. Quando começamos a falar sobre o mercado de ações, já nos deparamos com taxas de custódia (cobradas mensalmente) e taxas nas operações de compra e venda de ações – e não podemos esquecer do imposto cobrado sobre a renda. Sim, você não vai ficar com todo o rendimento bruto obtido por meio de suas ações, uma vez que você pagar todas essas taxas. Você pode, até mesmo, amargar prejuízos, já que alguns desses valores são absolutos (taxas sobre as operações e taxa de custódia).

Não há um valor exato a partir do qual seja interessante investir tal que possamos diluir ao máximo as taxas de custódia e sobre operação, mas acredito que um valor entre R$ 8.000,00 e R$ 12.000,00 seja suficiente. Você pode investir valores menores e obter lucros, da mesma forma que você pode investir valores maiores e ainda assim amargar prejuízos, dependerá muito de seus conhecimentos em tais investimentos, lembrando que o momento da compra de uma ação é especialmente importante, pois é ele que vai determinar se você ganhará ou perderá dinheiro mais tarde. Busque adquirir ações que estejam visivelmente subvalorizadas e que você esteja bastante certo de que nos próximos seis meses retornarão ao seu valor real.

E não pense que escolher a hora certa de comprar (bem como a hora certa de vender) é algo tão simples assim: se fosse, por que tantas pessoas ainda perdem dinheiro na bolsa de valores? Sendo assim, aconselhamos a começar utilizando-se de simuladores de bolsas de valores – principalmente aqueles que se utilizam de dados reais da bolsa – a fim de aprender bem antes de começar a investir. E uma outra dica: quando começar a investir em ações, mantenha algum dinheiro ainda em caderneta de poupança, a fim de servir de reserva para os casos de emergência. Para para pensar: quais os riscos que você corre se investir todo o seu dinheiro em ações? Imaginemos que uma semana ou mais depois de investir tudo em ações você sofra um acidente de carro e precise de R$ 2.500,00 para cobrir os prejuízos – se vender suas ações agora, pressionado pela necessidade, provavelmente você estará perdendo dinheiro na operação. E então, de onde podemos obter tal dinheiro se não tivermos uma reserva?

Vender suas ações pressionado por alguma necessidade súbita geralmente o levará a perder dinheiro em seus investimentos. Desta forma, será muito mais interessante utilizar-se de alguma reserva em vez de resgatar das ações. Mas isso só poderá acontecer caso você tenha algum dinheiro em uma caderneta de poupança, CDB ou aplicado em outro lugar onde você possa resgatar facilmente e sem prejuízos. Sendo assim, manter um valor de três a seis meses de suas despesas mensais ou outro valor que você compreenda como sendo o necessário para a sua reserva em uma poupança é uma ótima ideia.

Então, a hora certa para começar a investir em ações pode ser o momento em que você já tiver em caderneta de poupança o valor referente ao fundo de emergência, mais o capital inicial que você deseja investir em ações – esse valor pode variar de uma pessoa para outra, para mim, acredito que seria um capital em torno de R$ 17.000,00. Outra excelente ideia é começar a investir em ações somente após um bom tempo aprendendo sobre elas, conhecimento este que pode ser adquirido por meio de livros e cursos. Frequente cursos gratuitos, mas também os pagos – muitas vezes, cursos gratuitos são versões reduzidas e simplificadas de cursos pagos, lançados com o propósito de incentivar o aprendiz a participar do curso pago.

A combinação conhecimento + capital inicial são mais do que suficientes para reduzir os riscos e aumentar sua perspectiva de lucros – claro, reduzem-se os riscos, mas não são eliminados completamente. E então, ainda há alguma dúvida sobre a hora certa para entrar no mercado de ações?

Aplica̵̤es financeiras Рcomo obter sucesso?

Se você gosta do mundo dos investimentos e está aí, fazendo suas aplicações financeiras, mas não está muito certo quanto ao grau de sucesso que poderá obter por meio delas, não se preocupe: você não é o único. Há um grande número de investidores que se encontram nessa mesma situação, igual a você.

Neste artigo, comentaremos agora algumas estrat̩gias e cuidados que o pequeno e m̩dio investidor devem ter quando esṭo planejando e executando suas aplica̵̤es financeiras Рprincipalmente se estas envolvem o mercado de a̵̤es.

Dica #1 – Uma maneira de reduzir o risco de investir dinheiro no mercado de ações é a prática da diversificação. Você pode fazer isso, investindo em uma ampla gama de empresas de tecnologia que sejam consideradas blue chips, por exemplo. Também investir algum do seu dinheiro em títulos. A maneira mais fácil de praticar a diversificação é a compra de fundos mútuos.

Dica #2 - Um fundo a considerar na hora de investir no mercado de ações é um fundo de índice. Os fundos de índice simplesmente acompanham um segmento do mercado, mais popularmente o S & P 500. É preciso muito pouco esforço e garante, ao menos, seguir o ritmo do mercado em geral. Estudos mostram que os fundos de gestão ativa em grande parte geralmente acompanham os resultados dos fundos de índice. É difícil bater o mercado.

Dica #3 - Entenda os riscos envolvidos no mercado acionário. Se você está acostumado a investir em fundos mútuos, entendemos que ações individuais é um risco maior. Se você não é o tipo de pessoa que está preparada para assumir um risco, fique com as empresas que têm uma boa situação financeira e que têm mostrado excelente desempenho das ações no passado.

Dica #4 - Investir gera melhores resultados quando se traça metas a longo prazo. Poucas pessoas terão sucesso em mover seu dinheiro de uma ação para outra tentando seguir as tendências dia-a-dia. A maioria das pessoas só acabam perdendo seu dinheiro e ficando frustradas. Olhe para as empresas sólidas ou fundos com uma longa história de bons retornos e permaneça nesse curso.

Bem, com essas dicas, espero que consiga muito mais sucesso em suas aplicações financeiras. Em breve estaremos publicando aqui outras dicas para quem deseja aplicar em outros ativos financeiros!

Dicas sobre o mercado de ações hoje

Investir pode ser um dos melhores jeitos de ganhar dinheiro, mas também pode ser um ótimo jeito de perder muito dinheiro. Quem deseja investir no mercado de ações hoje, por exemplo, não pode fazer isso de forma totalmente aleatória, precisa traçar uma boa estratégia e seguir certas dicas que ajudem a evitar certas situações de risco desnecessárias.

Por exemplo, quando fazendo assunções a respeito de valorizações de ações, seja tão conservador quanto for possível. Investidores em ações tipicamente têm um hábito de buscar projetar eventos atuais no futuro tentando descobrir se uma ação irão valorizar ou não. Se o mercado acionário está bom e muitas ações sobem, a tendência é acreditar que suas ações também subirão, vendo assim um futuro brilhante e maravilhoso para elas, mesmo que haja alguma volatilidade naquele meio. Sendo assim, é muito importante que analise de forma conservadora cada ação a fim de reduzir ao máximo a possível interferência externa que possa levá-lo a cometer certos erros em suas decisões.

Espalhe seu dinheiro, diversifique. Você precisa ter um portifólio que evite grandes perdas caso um tipo de indústria sofra uma crise. Por exemplo, se todas as suas ações são da indústria metalúrgica, elas podem desvalorizar-se bastante caso haja uma crise naquela indústria. Mas se você mantém ações de indústrias diferentes, você estará menos suscetível a um revés.

Se você é um investidor iniciante é importante que esteja pronto para perder um pouco de dinheiro em algumas negociações. Em um mercado como o acionário isso acontece bastante e se você não está preparado para aceitar isso, então é melhor não investir no mesmo. Muitos investidores não preparados acabam por entrar em pânico quando perdem em suas primeiras transações e acabam vendendo suas ações rapidamente, abandonando assim as chances de recuperar o seu dinheiro.

E normalmente é melhor investir em um número limitado de posições em que você esteja confiante, em vez de investir em um grande número de companhias. Pode parecer contrário à ideia de diversificar, mas não é. O fato é que você precisa encontrar um ponto de equilíbrio entre diversificar e consolidar a sua carteira de ações, tal que seja fácil de gerenciá-la sem arriscar-se demais.

Bem, como comentamos lá no início: investindo em ações você pode ganhar muito dinheiro, mas também pode perder. Tudo depende de como você investe no mercado de ações hoje, além de, claro, ter um pouco de sorte. Espero que as dicas aqui apresentadas possam ajudá-lo em sua jornada rumo ao sucesso financeiro.