Archive for Geral

Papo reto: investindo melhor em 2018, recuperação econômica e oportunidades para pequenas empresas

Caracas! O ano já começou e até agora não escrevi um artigo aqui no Clube do Dinheiro! Antes de mais nada, peço desculpas a você, amigo leitor, por tal falha minha. E agora, vamos ao que interessa: um resumo (com a minha opinião) sobre as principais notícias em Economia e Finanças que podem (e deveriam) interessar a você, pequeno (ou futuro) investidor!

Investindo melhor em 2018

Publicado em: Imposto de Renda Sobre Investimentos: O Guia Atualizado [2018]

E para começar com o pé direito, temos um artigo da corretora Rico que apresenta informações acerca de tributação sobre investimentos. Eu diria que o artigo é bom não somente pelas suas informações sobre tributação, mas como um “lembrete” sobre as várias opções de investimentos – ele cita várias opções, diversas delas para perfis bem conservadores, algumas para perfis mais ousados, e como a tributação é calculada. No resumo, é isso que temos:

  • Isentos de tributação: poupança, LCI, LCA e debêntures incentivadas;
  • Tributação segundo duração da aplicação (diversos fundos de investimentos):
    • Até 180 dias: alíquota de 22,5%;
    • 181 a 360 dias: alíquota de 20,0%;
    • 361 a 720 dias: alíquota de 17,5%;
    • Acima de 720 dias: alíquota de 15,0%;
  • Fundos de ações: alíquota de 15%;
  • Ações: isenção caso volume de vendas em um mês não ultrapasse R$ 20.000,00.

O artigo também lembra que certos fundos de investimentos sofrem a incidência do come-cotas, que nada mais é que a cobrança semestral do IR enquanto perdurar a aplicação que, por ser cobrada antes do resgate total da aplicação, acaba por reduzir sua rentabilidade.

Minha opinião: lê-lo só me ajudou a reforçar minha crença de que se você busca resultados melhores no longo prazo, vale a pena você investir em aprender sobre as diversas opções de renda fixa e a investir em ações e fazê-los sempre diretamente, evitando fundos porque, por mais bem geridos que sejam, você terá incidência de IR diferenciado, taxa de administração, taxa de carregamento (estou de olho em você, previdência privada!) etc. No início pode até custar-lhe mais caro (aprendendo, errando e tal), mas no longo prazo será uma das melhores opções.

Redução do desemprego – Economia melhorando?

Publicado em: Taxa de desemprego cai a 11,8% em dezembro, Programa Seguro-Emprego terá R$ 331,6 milhões em 2018, Os desafios para o crescimento sustentável do Brasil

Segundo dados do IBGE, a taxa de desemprego ainda é muito alta, mas ao menos caiu para 11,8% no mês de dezembro. Não diria que isso significa que a crise está completamente ultrapassada (este é ano de eleições presidenciais e o futuro político do Brasil em 2019 é bastante incerto), mas talvez estejamos nos recuperando – a passos bem lentos.

Talvez o incentivo do Programa Seguro-Emprego (PSE) tenha contribuído para a retenção de empregos e consequentemente evitar que esse número fosse maior. O PSE é um programa que permite a empresas em dificuldades financeiras negociarem a redução da jornada de trabalho de seus empregados em até 30%, enquanto o PSE cobre até 50% da perda salarial do funcionário, evitando assim uma queda muito brusca de seu poder aquisitivo. Antes de reclamar que o governo está incentivando empregados a aceitarem uma redução salarial, lembrem-se que se tratam de empresas em grandes dificuldades financeiras, ou seja, sem essa alternativa, algumas delas precisariam decretar falência por não terem condições de pagar toda a jornada de trabalho de seus empregados.

E aproveitando o momento para questionar se “a maré está realmente melhorando”, gostei muito do artigo de Álvaro Bandeira, publicado no Dinheirama, que conclui que, apesar de começarmos a ver um cenário melhor (estabilização de alguns índices, PIB voltando a crescer etc.), ainda não se pode comemorar, pois há muito “chão pela frente” e a máquina pública ainda está muito “gorda”.

Três hábitos de quem vive reclamando da falta de dinheiro

Publicado em: Veja os 3 hábitos de quem vive reclamando que está sem dinheiro

Hah! Desse artigo eu gostei e não é que ele traga um conhecimento altamente revelador, algo que ninguém ainda falou, mas “mexe na ferida” de muita gente que reclama que “não ganha o suficiente”, “as contas são muito caras”, “o dinheiro não dá para nada” e por aí vai.

O artigo aponta que há três hábitos (eu chamaria de vícios) enraizados nas mentes de tais pessoas que podem ser a causa de tais problemas. Os “hábitos” são:

  • Elas buscam satisfação imediata – raramente optam por privar-se de algo hoje para alcançar um resultado melhor no futuro;
  • Associam consumo ao prazer – há muitas formas de diversão e entretenimento prazerosas que não envolvem consumo de coisas caras, mas infelizmente tais pessoas não percebem isso.
  • Faltam-lhes disciplina e perseverança para mudar – elas até querem mudar suas vidas, mas não é da noite para o dia que vão conseguir, então se não focarem na meta ao longo de meses ou mesmo anos, não conseguirão.

Mais financiamento para o micro e pequeno empreendedor

Publicado em: Micro e pequenas empresas recebem financiamento recorde do BNDES

Se a notícia estiver certa (e os números não estiverem maquiados), temos muito o que comemorar, pois o BNDES pode estar cumprindo seu papel como banco para o desenvolvimento e financiando micro e pequenos empreendedores, em vez de focar em emprestar paras as grandes empresas – deixando as pequenas à deriva.

Segundo seus dados, em 2017, dos R$ 70,8 bilhões emprestados, R$ 29,7 bilhões (42%) foram destinados a empresas de tal porte. Bem, se tais empresas também receberem o apoio do Programa Seguro-Emprego que citamos anteriormente, é bem provável que consigam sobreviver ao período atual com muito mais força, não precisem demitir seus funcionários (cerca de dois terços dos empregos gerados encontram-se em pequenas e médias empresas) e consigam prosperar.

Como atrair clientes?

Você que é empresário, sabe como atrair mais clientes e como mantê-los ou conquistá-los? Aqui está um artigo que irá ajudar você um pouco mais a melhorar isso. A primeira coisa a saber é qual público-alvo você quer atingir! Mas o que é público-alvo? O público-alvo é o tipo de pessoas a que você quer atingir no qual o produto é mais indicado, ou seja, é uma expressão para delimitar quem deve ser visado pelo empresário na hora da venda de seus produtos! E é para o público-alvo que você irá direcionar sua propaganda (seu Marketing) do produto ou serviços prestados! É bom para um empreendimento atrair clientes, porém também é bom manter os clientes!

Alguns meios para atrair os clientes são:

  • Melhorar a comunicação;
  • Mudar o design do estabelecimento;
  • Melhorar o atendimento e dar mais conforto ao cliente;
  • Oferecer multi serviços;

O marketing tem como finalidade atrair e manter os clientes. É necessário ter uma boa comunicação para promover os serviços e produtos que o negócio está oferecendo. Quanto mais tipos de comunicação entre o seu negócio e os clientes maior será o contato entre eles e assim obterá melhores resultados no final. Algumas formas de atrair os clientes por meio do Marketing são: propagandas, promoções, lançamentos de novos produtos, classificação de preços, o layout da loja, entre outros. Além de mudar o design do produto, pois muitas pessoas compram baseado no que vêem (vendo uma embalagem que atraia-as a comprarem)

Mudar e melhorar o design do estabelecimento é uma maneira muito eficaz de atrair consumidores. A aparência do estabelecimento é uma grande a aliada da organização, pois firma a imagem e o comportamento da marca. Mude a cor e a iluminação do ambiente ou mude a vitrine para que fique mais organizada e objetiva (para quando o cliente olhar, ele tenha desejo ou vontade de comprar os produtos).

Melhorar o atendimento ao cliente dando aos mesmos mais conforto para fazer eles voltarem depois. Os clientes gostam de ser tratados com respeito. Oferecer água ou café por perto, um sofá para descansarem e se sentirem num ambiente agradável. Clientes gostam de ter um “mimo”! Ser fiel e mostrar atenção àquele cliente que já está a alguns anos comprando no estabelecimento! Ter uma caixa de sugestões para manter os clientes mais próximos e assim poder atender uma boa parte das suas necessidades, melhorando assim sua relação com eles.

Oferecer multi serviços ou multi produtos com o intuito de dar mais opções para o cliente poder escolher qual produto ou serviço mais se adéqua a ele. Com preços mais baixos do que seu concorrente e com prazos melhores, claro.

Clientes satisfeitos continuarão retornando para comprar produtos ou serviços, e com a comunicação “boca-a-boca” trará mais clientes novos ao estabelecimento!

Por Chryslene Lima

Gerenciando o stress em pequenos negócios

Vi uma van na rodovia com “abençoado demais para estar estressado” estampada em seu pára-brisa traseiro. Quão apropriado que o motorista adivinhou que este mantra pode ser relevante para outros meditar enquanto eles navegam pelas rodovias?

O stress (ou estresse, como é preferível escrever em língua portuguesa) é considerado um risco ocupacional para os empresários. Ter mantras positivos como “nós navegamos nossas vidas de negócios” é uma forma de lidar com o stress. Mas há momentos em que frases positivas não são suficientes para gerir o stress ou a ansiedade; técnicas de auto-gestão emocional são úteis nestes casos.

Após o nascimento do meu primeiro filho, eu fui diagnosticado com depressão pós-parto e sofria de ansiedade severa. Meu marido e eu não só tínhamos dois empregos de tempo integral, mas estávamos administrando nossos negócios que incluíam ordens de processamento para os nossos novos sites online.

Isso consumia toda a energia do meu ser para lutar e trabalhar enfrentando o mal-estar da depressão com todos os meios disponíveis para mim. Isto incluía visitas a psicólogos e terapeutas. Um dos tratamentos mais bem sucedidos que eu encontrei foi uma técnica de auto-gestão emocional, recomendada a mim por um psicólogo. A teoria e as técnicas são explicadas em Cura emocional instantânea: pontos de acupuntura para as emoções.

Ele combina os princípios de técnicas cognitivo-comportamentais, juntamente com aqueles da medicina oriental e do sistema de energia do corpo. Minha explicação deselegante é que existem bloqueios físicos e emocionais em nós mesmos que podem ser aliviados tocando determinadas partes do corpo que correspondem a pontos meridianos no sistema de energia em nossos corpos, como na acupuntura e, simultaneamente, repetindo frases positivas que penetram na mente sub-consciente.

As informações contidas no livro foram facilmente acessíveis para mim em um momento em que eu estava muito estressada estressada e incapaz de me concentrar. Fiquei aliviado ao encontrar uma técnica que eu poderia auto-administrar e utilizar para assumir o controle da tensão opressiva e improdutiva. Todas as pessoas de negócios independentes se beneficiariam de técnicas como a auto-gestão emocional não só para aliviar as emoções improdutivas, mas para otimizar o desempenho.

Por Patrícia Corina

Vi uma van na rodovia com “muito abençoado para ser ressaltado” estampada seu pára-brisa traseiro. Quão apropriado que o motorista adivinhou que este mantra pode ser relevante para outros meditar enquanto eles navegam pelas rodovias.

O estresse é considerado um risco ocupacional para os empresários. Tendo mantras positivos como navegar vive o nosso negócio é uma forma de lidar com o estresse. Mas há momentos em que frases positivas não são suficientes para gerir o stress ou a ansiedade. técnicas de auto-gestão emocional são úteis nestes casos.

Após o nascimento do meu primeiro filho, eu fui diagnosticado com depressão pós-parto e sofria de ansiedade severa. Meu marido e eu não só teve dois empregos a tempo inteiro, mas estavam administrando nossos negócios que incluíam ordens de processamento para os nossos novos sites online.

Tomou todas as fibras do meu ser para lutar e trabalhar com o mal-estar da depressão com todos os meios disponíveis para mim. Isto incluiu visitas a médicos e terapeutas cognitivos. Um dos tratamentos mais bem sucedido que eu encontrei foi uma emocionais de auto-gestão técnica (SME), recomendado a mim por um psicólogo. A teoria e as técnicas são explicadas em Instant Cura emocional: Acupressure para as emoções. Ele combina os princípios de técnicas cognitivo-comportamentais, juntamente com aqueles da medicina oriental e do sistema de energia do corpo. Minha explicação é deselegante que existem bloqueios físicos e emocionais em nós mesmos que podem ser aliviados por escutas determinadas partes do corpo que correspondem a pontos meridianos em o sistema de energia organismos, como em Accupunture e, simultaneamente, repetindo frases positivas que penetram no sub-consciente mente.

As informações contidas no livro foi facilmente acessível para mim em um momento em que os mais estressados e incapaz de se concentrar. Fiquei aliviado ao encontrar uma técnica que eu poderia auto-administrar e utilizar para assumir o controle da tensão opressiva e improdutivo. Todas as pessoas de negócios independente se beneficiariam de técnicas como a EMS não só para aliviar as emoções improdutivas, mas para otimizar o desempenho.

Menos impostos, mais pequenos negócios!

Hoje em especial nosso artigo falará sobre os fatores e efeitos dos impostos para a abertura dos pequenos negócios, e explicará sobre quanto menos impostos, para mais pequenos negócios. Como em nosso país a alta carga de tributos, sendo considerada uma das maiores do mundo, esse é o fator que gera empecilhos no momento de colocar as ideias de negócios em prática.

Então é bem importante quando ocorre qualquer diminuição nas taxas de impostos, pois é diretamente relacionadas aos setores de produção, e assim consequentemente às pequenas e micro empresas. Quando ocorre uma redução significativa nas taxas de tributos, fica mais simples obter crédito para empresa, vender os produtos e/ou serviço, ter acesso à tecnologia, gerar renda e empregos, exportar e levar o pequeno negócio de a formalização.

O ideal para a situação da substituição tributária para pequenas e micro empresas é a substituição da mesma em outro sistema, o Simples Nacional, que é uma das atuais propostas. E funciona como uma arrecadação única de impostos para os pequenos e micros negócios, foi criado pela Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, ocasionando menor burocracia e mais oportunidades de produção, movimentando cada vez mais a economia.

O que mudou no cálculo do impostos?

O sistema que já foi sancionado o unifica todos os impostos, sejam eles federais, estaduais e municipais como, ISS, PIS, COFINS, IRPJ, CSLL, IPI e ICMS. Ao invés de várias cartas de recolhimento, transformando-as em uma única guia, com apenas um valor de pagamento e data. Com um único cálculo para quitamento.

E ainda a redução da taxa da carga de tributos, resultando para os pequenos negócios menores impostos, além disso poderá também ter queda de 20% para o sistema Simples Federal, variando de estado para estado em que o empreendimento estiver situado podendo chegar a até 50%. Porém não são todos os tipos de negócios que poderão receber essa diminuição nos impostos, por que cada caso é analisado individualmente.

Com isso ficará cada vez mais fácil abrir um pequeno ou micro negócio, pois o processo de desburocratização não está restrita somente a carga tributária, ela atingiu alguns níveis mais altos. Como por exemplo a abertura do empreendimento, pois exige cada vez menos a papelada de comprovantes e documentos. Unificando também os códigos de identificação como, inscrições estaduais e/ou municipais, CNPJ e outros, utilizando uma numeração com base no CNPJ.

Com isso para o registro também único de abertura do negócio, não precisando fazer outros cadastros, sendo assim as exigências fixadas e disponíveis em somente uma vez. Auxiliando ao pequeno empreendedor sobre como prosseguir para deixar seu negócio na formalidade.

Cuidados com “um negócio da China”

Olá pessoal! Hoje nosso artigo é um alerta para empreendedores iniciantes sobre alguns cuidados com negócios da China. Negócios que oferecem altos rendimentos e sobre os riscos com a confiabilidade de produtos de empresas  de credibilidade duvidosa.
Você provavelmente já deve ter recebido ou visto em algum local propagandas sobre trabalhar com vendas de produtos ou serviços nos quais a empresa que oferece o serviço traz uma ideia de que aquilo é algo bem rentável e que você pode tirar altos lucros só trabalhando com a empresa. Tome cuidado isso pode ser uma falcatrua!

Como fugir desses tais golpes? Procure conhecer melhor a procedência da empresa fornecedora e desconfie sempre de coisas duvidosas principalmente se os produtos e o serviços que são importados.

Procure certificar se é viável trabalhar com produtos e serviços estrangeiros, leve em conta as altas taxas de impostos e os valores da importação, ou seja, o preço final do produto pode ficar bem “salgado” quando chega na mão dos clientes por conta das somas das taxas mais o valor do produto em si.

Para que você empreendedor não tenha frustrações futuras é importante levar em consideração algumas dicas, lembre sempre do planejamento dos negócios, lembre dos seus objetivos iniciais para obter os resultados finais com tranquilidade. Não acredite em uma das milhares de propostas de  negócio fácil e de altos lucros, isso não existe, todo o bons lucros é fruto de muito trabalho e feito de várias conquistas.

Outro risco que o empreendedor corre é quando adquiri contratos com fornecedoras de produtos e serviços que não apresentam boas condições e nenhuma confiabilidade, o seu investimento será em vão e ainda trará uma bela dor de cabeça pelas dívidas que isso causará. Prefira negócios que tenham boa divulgação assim dá para ter ao menos uma noção se é ou não confiável, mesmo assim procure saber de as fontes da empresa fornecedora como e onde surgiu.

Outra boa dica é dar preferência a serviços e produtos nacionais, assim não precisará pagar taxas a mais como a já citadas anteriormente, a de importação e os impostos sobre a importação. Verifique também a qualidade dos produtos, se oferecem alguma garantia para seu público-alvo. Seguindo algumas dessas dicas você pode estar despistando alguns serviços golpistas ou até mesmo, evitando que o seu pequeno negócio vá a falência, evitando bastante problemas para a mesma.

Gostaram do artigo? Já teve alguma relação com negócios que não são tão promissores como os negócios da China? Deixe seu comentário e nos conte sua experiência.  Até breve 🙂