Archive for Desafio 30 dias

Aprendendo Espanhol em 30 dias – 10 dias já se passaram

Aos que não lembram ou não viram meu artigo anterior, eu decidi aprender espanhol em 30 dias, porém não aprender um “portunhol” meio arrumado, mas ser capaz de ler, escrever e conversar em espanhol. Já se passaram 10 dias desde o início deste desafio, então está mais do que na hora de atualizá-los quanto a como estou indo, obstáculos encontrados e soluções adotadas.

Aprender espanhol em 30 dias. Desafio aceito!

Vale lembrar que antes de iniciar o desafio eu desenvolvi uma ideia bastante clara de minha meta, isto é, ser capaz de escrever bem como conversar em espanhol fluentemente. É importante saber exatamente o que deseja para determinar qual será o melhor método bem como ferramentas adequadas para a tarefa. E para não perdermos o costume, aqui vai a versão curta que responda a isso:

1. É uma boa ideia começar com o básico da gramática: algo como os pronomes, conjugação dos verbos mais básicos (ser, estar, ir, ter, falar) etc.
2. Use um programa como o Anki (gratuito) para criar flashcards com as palavras e expressões mais difíceis de recordar, assim pode repeti-las frequentemente e assim memorizá-las;
3. Ler não é realmente um desafio, já que muitas palavras são bem parecidas com a língua portuguesa, já quanto a ouvir (compreender auditivamente) o desafio é maior, já que a pronúncia de muitas delas é bastante diferente da língua portuguesa;
4. Estudar de forma rápida e intensa não é tão simples assim: os aplicativos que testei (Duolingo e Busuu) focam mais em gramática e frases curtas, o que torna o processo de aprendizado bastante lento – e se você quer aprender uma língua em 30 dias, meu caro, velocidade é o que você precisa;
5. Principal obstáculo: meu vício por jogos voltou a dominar meu tempo livre nos últimos dias, o que prejudicou muito meu progresso.

Bem, agora que já apresentei um resumo da experiência dos primeiros 10 dias, vou detalhar com calma – e quem estiver também nesse desafio poderá aprender um pouco e compartilhar sua experiência também, claro.

Conhecimentos básicos em gramática são fundamentais

Mesmo que você queira somente ser capaz de ler livros e artigos em espanhol (para uma prova de vestibular ou proficiência em um programa de pós-graduação, por exemplo), compreender alguns pontos básicos da gramática o ajudarão a facilitar e muito a leitura. Alguns pontos a se estudar:

  • Pronomes pessoais (yo, tú, él/ella/usted, nosotros/nosotras, vosotros/vosotras, ellos/ellas/ustedes);
  • Artigos (el, la, los, las, un, una, unos, unas);
  • Numerais cardinais e ordinais;
  • Conjugação dos principais verbos irregulares (ser, estar, ter, ir etc.);
  • conjugação dos verbos regulares (pelo menos no presente).

Veja bem, você não precisa decorar toda a gramática, mas se tiver uma boa base no que acabei de expor acima seus momentos de estudo serão muito mais produtivos, já que quase todo o restante será treinamento de vocabulário.

Flashcards para memorização são essenciais

Como afirmei lá no início desse texto, muitas palavras são bem parecidas com palavras em português. Várias mudam somente um sufixo ou um encontro consonantal. Mas… e o que fazer para aquelas palavras que mudam completamente (como “segunda-feira” que se escreve “lunes”)?

Bem, para esses casos, você precisa de um método para memorização, e uma boa opção é o uso de flashcards. São cartões em que na frente você escreve uma expressão ou pergunta e no verso a resposta para o mesmo. No meu caso, na frente o termo em português e tento adivinhar o que está atrás, que é o termo em espanhol.

Você pode ter flashcards em papel, o que é muito bom caso deseje compartilhá-los com outras pessoas ou usá-los sem um PC ou smartphone, mas se você deseja usar uma versão para PC (eu estou usando!), uma opção gratuita para PC é o Anki.

No início eu estava um pouco cético quanto ao uso dele – já que os demais aplicativos que estou usando parecem bastante “lentos”. Mas logo recordei (já os usei antes) qual o principal ponto positivo de flashcards: você criará cartões somente com os seus pontos fracos (expressões difíceis de memorizar, por exemplo), ignorando aquilo que você já sabe, então estará realmente reforçando aquilo que possui dificuldade em vez de “perder tempo” repetindo o que já sabe.

Desafios em ler e ouvir em espanhol

Conforme já mencionei, muito da escrita em espanhol se parece com a escrita em português. O que é muito bom para acelerar o processo mas ao mesmo tempo um pouco frustrante, pois no meu caso significava passar por lições inteiras no Duolingo e no Busuu sem aprender uma nova palavra. Idem quando lendo livros (estou lendo um livro chamado “Desarrollo de Software Dirigido por Modelos”).

Você deve pensar que sou maluco, mas lembre-se que o objetivo é alcançar o meu máximo em 30 dias e só repetir o que já sei não me faz “sair do lugar”. Aliás, foi por isso que comecei a ler um livro em espanhol, já que somente os aplicativos não pareciam suficientes.

Já quanto a ouvir em espanhol, o desafio é maior, pois mesmo palavras escritas de forma parecida podem ter pronúncias bem diferentes quando comparadas com a língua portuguesa. E aqui a falha é minha: diante da simplicidade do conteúdo em áudio presente nas ferramentas, eu já deveria ter procurado alguns canais em espanhol no YouTube para treinar melhor a compreensão, porém ainda não o fiz. Erro meu que pretendo corrigir a partir de agora.

E nem vou falar como estou quanto à capacidade de conversar, já que por preguiça/procrastinação minha ainda não procurei um professor para treinar via Skype!

Aplicativos em uso

E se o negócio é aprender rapidamente, tecnologia acaba sendo envolvida, não é mesmo? Assim sendo, aqui vão as ferramentas que estou usando até o momento:

  • Duolingo – um bom aplicativo gratuito com muitas lições. A sua dinâmica é bem fácil e agradável, mas o maior problema do mesmo é a limitação quanto a vocabulário presente no mesmo. Além disso, não apresenta textos e vídeos para complementar o aprendizado;
  • Busuu – um bom aplicativo com versão gratuita (muito limitada) e paga (bem mais ampla). Melhorou bastante sua interface de navegação, mas o ponto positivo mesmo é poder enviar textos e áudios para nativos no idioma estudado corrigirem. E você pode fazer isso mesmo sem pagar!
  • Anki – eu já falei aqui o quanto subestimei essa ferramenta mais foi só começar a usar e recordar como flashcards podem ser poderosos?
  • YouTube – há alguns canais no YouTube bem legais, tanto com lições básicas de espanhol quanto com material genuinamente produzido em espanhol. Em minha opinião, para quem quer desenvolver a capacidade de ouvir, YouTube e LiveMocha são ferramentas essenciais.

Cuidado com devoradores de tempo

E aqui está o maior problema que enfrentei. Como disse, após alguns dias estudando senti-me um pouco frustrado, pois a parte de leitura e escrita estava parecendo fácil demais, mas aí quando começou a melhorar (com a leitura de um livro e anotação de termos mais difíceis em flashcards) reapareceu em minha vida um dos meus maiores vilões: joguinhos! XD

Nesse caso, por acaso esbarrei em um jogo para Android chamado Mobile Strike e comecei a jogá-lo. Achei-o tão interessante que paguei pelo pacote mais básico como forma de apoiá-lo ($4.99) e aí tornou-se um problemão, pois com tudo o que ganhei no jogo acabei desperdiçando muito tempo nele e estudando quase nada de espanhol nos últimos três ou quatro dias – o que, para uma meta de aprender em 30 dias, significa muita coisa!

Bem, “devorador de tempo” encontrado, agora só me resta afastá-lo e voltar às minhas atividades. Assim sendo, meus próximos passos provavelmente serão:

  • Treinar a escrita, traduzindo os artigos do Clube do Dinheiro para espanhol;
  • Recuperar as lições esquecidas nas plataformas Duolingo e Busuu;
  • Procurar um professor/tutor de espanhol para desenvolver a capacidade de comunicação.
  • Ao menos dobrar a quantidade de flashcards já elaborados (até agora tenho um total de 73 cartões).

E você, também está no #Desafio30Dias para aprender espanhol? Se sim, comente aqui qual está sendo sua estratégia de aprendizagem!

Aprender espanhol em 30 dias! Topa?

Buenas noches! Alguns dias atrás (creio que na sexta-feira ou no sábado), estava revisando os favoritos salvos no Google Chrome (sim, aqueles mesmos, em que a gente salva milhares de artigos para “ler mais tarde” e nunca lê…) e lembrei-me que certa vez pensei em aprender espanhol. No caso, meus favoritos referiam-se a materiais para aprender mais (ou melhor) em menos tempo.

Aprender espanhol em 30 dias. Desafio aceito!

Lendo aqui e acolá, eis que encontro um artigo de Paulo Ribeiro publicado no blog Papo de Homem justamente sobre Como aprendi espanhol em 30 dias. Nem preciso dizer que aquele artigo atiçou minha curiosidade e vontade. Eu até estava pensando em fazer o mesmo porém com um prazo um pouco maior (90 dias), mas há uma grande desvantagem em “prazos longos”: você perde a motivação no meio do percurso (li sobre isso em um artigo justificando a importância de focarmos em projetos curtos).

Por exemplo, quando iniciei um projeto para desenvolvimento de um aplicativo para aprendizagem de línguas, decidi voltar aos meus estudos de língua inglesa com o foco em melhorar a parte de conversação, mas acabei me dando um prazo tão longo que os resultados tornaram-se bastante lentos e, com isso, acabei por me desanimar. Assim, a proposta de “enxugar” o deadline de 90 para apenas 30 dias soou-me como uma loucura bastante desafiadora! 🙂

“E por que espanhol e não inglês?”, você pode estar se perguntando. Simples, como em língua inglesa já estou bem avançado quanto à parte de leitura (e mediano na parte de escrita) e meus problemas seriam somente com a parte de conversação, achei que era melhor procurar uma língua em que eu começasse praticamente “do zero”: sou capaz de ler normalmente muitos textos em espanhol, mas não tenho um vocabulário tão aprofundado e praticamente zero em todo o restante. Além disso, escolher uma nova língua praticamente “do zero” permite-me criar um “diário” de tudo o que usei durante a aprendizagem e que será mais tarde publicado aqui.

E estou anunciando aqui para assumir tal compromisso publicamente! Assim sendo, tenho todo o mês de maio para aprender o básico de espanhol, pelo menos o suficiente para manter um diálogo de 10 minutos com uma pessoa que fale a língua espanhola nativamente! Tentarei agendar um conversa com alguém para realizar tal “avaliação final” para o dia 02 de junho (sexta-feira).

E aqui vai um pouco do que tenho feito até agora:

  • Li e tomei nota de dicas e estratégias para aprender uma nova língua rapidamente a partir de alguns artigos e apresentações disponíveis na Internet;
  • Revisei aplicativos em meu iPad para aprendizagem de línguas (parece que, dos que eu já tinha instalado, somente o Busuu permite a aprendizagem de espanhol);
  • Elaborei um miniplano de ação, bem simples, que deve ser colocado em prática a partir de hoje;
  • Já comecei a utilizar o Busuu para aprender espanhol (mas acho ele um bocado chatinho às vezes, há algum outro mais no estilo do “LinguaLeo” só que para espanhol?).

O que farei agora:

  • Identificar qual o melhor app ou website para aprender espanhol;
  • Determinar se vale a pena pagar pelo mesmo ou não (no caso do Busuu, eu posso pagar uma assinatura de um ano e usá-la para treinar outros idiomas após este experimento);
  • Revisar e começar a executar meu miniplano.

Sim, sei que a meta é demasiadamente ambiciosa. Como disse, não espero virar um poliglota ou estar apto a viajar para um país que fale a língua espanhola apenas com 30 dias de treinamento, mas considero um excelente desafio para forçar-me a dar o primeiro pontapé.

E aí, mas alguém comigo nesse desafio? Você também não deseja aprender espanhol? Que tal um #Desafio30Dias ?