Aplicando o Triângulo B-I

Em nossa última lição, falamos sobre a importância de saber quando focar e quando diversificar. Hoje, prosseguiremos com nosso curso de Educação Financeira falando sobre o Triângulo B-I, um diagrama empregado por Robert Kiyosaki para apontar os principais recursos necessários para o sucesso no quadrante CashFlow.

A fim de facilitar o aprendizado, começaremos falando a respeito do quadrante CashFlow, apresentaremos então o Triangulo B-I e em seguida discutiremos como melhor empregá-lo em nosso dia-a-dia.

O Quadrante CashFlow

O Quadrante CashFlow é apresentado por Robert Kiyosaki inicialmente na obra Pai Rico, Pai Pobre, e mais tarde é retomado em Conspiracy of the Rich, como você pode lembrar a partir de nosso curso Estudando a Conspiração  dos Ricos.

O Quadrante CashFlow ou Quadrante ESBI como também é conhecido busca resumir os quatro possíveis papeis que uma pessoa pode assumir em sua vida financeira e profissional:

  • Employee – empregado, pessoa que ganha dinheiro trabalhando por outras;
  • Self Employee – profissional autônomo, pessoa que ganha dinheiro trabalhando para si próprias;
  • Business Owner – proprietário da empresa, pessoa que ganha dinheiro a partir do negócio que possui;
  • Investor – investidor, pessoa que ganha dinheiro a partir de seus investimentos (dinheiro gerando dinheiro).

Quadrante ESBI

Segundo Kiyosaki, as maiores oportunidades para o bom desenvolvimento financeiro e alcançar a independência financeira é por meio dos quadrantes B e I, entretanto para alcançar tais oportunidades é necessário que o indivíduo conheça os principais elementos que servirão de alicerce em suas conquistas – os mesmos estão resumidos no Triângulo B-I.

O Triângulo B-I

Considerando que você “comprou” a ideia sobre a importância do Quadrante ESBI e compreendeu que precisa saber como tornar-se um “business owner” e/ou um “investor”, o Triângulo B-I pode servir-lhe como um instrumento para orientá-lo.

Falamos inicialmente sobre o Triângulo B-I no artigo Construindo para o futuro e agora vamos discuti-lo um pouco mais, mas antes de explicar cada uma das partes do mesmo, vamos visualizá-lo (o que será muito útil para compreendê-lo):

Triângulo B-I

Como se pode perceber, este instrumento é formado por oito elementos: três principais (que formam o triângulo) e cinco que compõem partes essenciais de qualquer empreendimento ou investimento.

Missão

Um dos três elementos principais, a missão refere-se àquilo que você deseja alcançar, objetivo que servirá como guia em seus passos.

Talvez seja mais fácil perceber a importância da missão em empreendimentos, mas devemos estabelecer muito bem nossa missão também quando lidando com investimentos, de tal forma que saibamos sempre porque estamos investindo bem como os riscos que deveremos correr a fim de alcançar nossas metas.

Quando investindo, sua missão deveria descrever o objetivo de seu investimento (o que deseja fazer com o capital) bem como os prazos (Seis meses? Um ano? Dez anos?). Quando empreendendo, sua missão deveria descrever o objetivo do seu empreendimento, destacando aqui não somente a missão social (aquela que designa como se espera atender a uma demanda da sociedade), mas também quanto ao desenvolvimento do próprio negócio.

Se você deseja construir uma gigante das exportações nos próximos 10 anos, isso deve estar claro em sua missão; se você deseja alcançar um milhão de reais em 10 anos, isso deve estar claro em sua missão. Sua missão deveria servir-lhe como guia, um ponto fixo no horizonte que você deseja alcançar.

Equipe

Este segundo elemento principal falasobre a importância da formação de uma boa equipe que, compreendendo bem a missão, se esforçará por cumpri-la.

Não se engane, sem uma boa equipe, você não conseguirá ir muito longe. Você pode considerar como sua equipe os seus colegas de trabalho, subordinados, sócios, consultores e, por que não, o seu consultor financeiro.

Você pode estar pensando “mas eu não tenho dinheiro para manter uma equipe!”. Calma, se você quer abrir uma empresa e não sabe como, você pode contar com o Sebrae como parte de sua equipe. Se precisa de orientação financeira, pode contar com livros sobre o tema bem como a nossa ajuda aqui no blog (estamos planejando lançar em 2011 um programa de acompanhamento e aconselhamento, mas isso somente em 2011!). Se está precisando de pessoas para ajudá-lo a desenvolver uma tarefa, dependendo da complexidade você pode contratar um especialista ou um assistente (virtual ou presencial).

O essencial é que você reconheça a importância de uma boa equipe para o desenvolvimendo de seu negócio ou de bons investimentos.

Liderança

E o terceiro elemento principal fala de sua capacidade de liderar de forma geral, tanto no ambiente de trabalho, em sua vida financeira ou em meio à sua família.

Perceba bem: é importante que reconheça a necessidade de saber liderar não somente no ambiente de trabalho, mas em todo o resto, pois nada adianta ter um excelente local de trabalho altamente produtivo se sua vida financeira ou familiar estiver completamente desregrada, não é? Qualquer um desses pontos, quando em crise, pode causar problemas aos demais.

Kiyosaki não se prolonga falando sobre qual a melhor forma de liderar, entretanto a forma que mais vem sendo comentada e elogiada é a liderança servidora, que consiste basicamente em ter o próprio líder buscando servir sua equipe na medida em que tenta remover os empecilhos e gerar o melhor ambiente possível para o desenvolvimento das atividades. O líder, então, passa a servir sua equipe visando a produtividade e o bem-estar de todos e deixa de ser servido, no sentido de somente esperar que os outros façam sua parte sem nada fazer.

Esse conceito é comentado e explicado em obras como “O Monge e o Executivo” e “O Empreendedor Minuto” e espero comentar mais a respeito em outro momento.

Agora que já compreendemos os três principais pontos-chave do negócio / investimento, vamos agora conhecer os outros cinco pontos do triângulo B-I que ajudam a determinar o seu sucesso.

Produto

Este ponto fala do produto que você vende ou do serviço que você presta. Como nós sabemos, é a partir da venda deste que entra o dinheiro no negócio, sendo assim vital para manter o fluxo de caixa positivo.

Quando analisar o produto, diversas variáveis devem ser consideradas para sabermos se o mesmo será um sucesso ou se precisa ser melhorado do ponto de vista do consumidor final:

  • A qualidade do produto está acima do esperado?
  • Ele atende as expectativas do cliente?
  • O preço é convidativo?
  • A durabilidade / garantia é satisfatória?
  • Apresenta algum diferencial em relação à concorrência?

Desenvolvendo um produto ou serviço que atenda esses cinco pontos, você estará a um passo do sucesso. Sim, um passo, porque mesmo se conseguir tudo isso, mas se seu cliente não souber que o seu produto / serviço existe, nada disso funcionará.

Sendo assim, implicitamente, o marketing do produto é também parte importante do Ttriângulo B-I.

Aspectos Legais

Ponto muito importante que não deve ser esquecido, todo negócio está sob fiscalização por parte do governo e de outras instituições competentes e o descumprimento de qualquer lei pode levar a graves problemas.

E não estamos falando aqui somente de leis quanto à tributação, não – há também, por exemplo, os direitos do consumidor que, se não forem bem observados, podem render-lhe muitas dores de cabeça.

Importante principalmente para quem está à frente de uma empresa, não exige que o mesmo seja um expert em todos os aspectos legais, mas sim, que tenha em sua equipe alguém capacitado para orientar e resolver problemas dessa natureza.

Sistemas

Este ponto refere-se ao conjunto de sistemas que, quando bem empregados, podem levar o negócio a uma estrada suave para o sucesso e, quando não bem observados, conduzem a caminhos tortuosos.

Não se deve entender a palavra sistema aqui como se tratando somente de softwares e outras ferramentas tecnológicas, mas sim, todo conjunto de processos e ferramentas bem estruturado que conduz a execução de alguma atividade. Podemos ter um bom controle de estoque, por exemplo, mesmo sem usar um software para tal, apesar de que a introdução deste pode nos ajudar a automatizar diversas rotinas.

Todos os sistemas, quando utilizados em comum acordo, deveriam ajudar a equipe a alcançar a sua missão.

Caso você possua um negócio e acredite não utilizar nenhum sistema ou não conseguir identificar os sistemas que emprega, é uma boa ideia tomar algum tempo para analisar cada processo importante em seu negócio e buscar formas de sistematizar o mesmo a fim de facilitar a sua execução.

Comunicação

Este ponto refere-se à importância de uma boa comunicação entre todos a fim de permitir a correta execução de cada tarefa.

Ao contrário do que muitas pessoas pessoam, empregar os meios de comunicação de forma correta é muito mais complexo do que simplesmente saber se expressar bem. Por exemplo: como melhor armazenar informações importantes para que possam ser revisadas posteriormente? Que meio de comunicação empregar para mensagens importantes? E para mensagens urgentes? O uso de instant messaging é liberado sob quais condições?

É claro que toda essa organização da informação não surge da noite para o dia, mas deve ser trabalhada gradualmente em benefício de todos.

Fluxo de Caixa

E por último, mas não menos importante que todo o restante, está o fluxo de caixa, isto é, o cálculo de entrada e saída de capital que garantirá um resultado positivo que levará à sua independência financeira ou um resultado negativo que se não for revertido poderá levar à falência.

Se você não souber controlar o fluxo de caixa, poderá perceber ainda o saldo bancário cada vez menor, mas terá dificuldades para encontrar o verdadeiro culpado (será o alto custo dos fornecedores? Ou será o baixo volume de pedidos dos clientes? Ou então o número de clientes inadimplentes?).  De forma similar, mesmo que tenhamos um fluxo de caixa positivo, não devemos nos descuidar do mesmo, caso contrário podemos ver nosso império ruir diante de nossos olhos.

Se desejar saber mais a respeito de fluxo de caixa, leia nosso artigo A diferença entre ganhos de capital e fluxo de caixa, entretanto o mesmo não exlica como se pode controlar o fluxo de caixa de uma empresa ou de finanças pessoais. Em breve teremos um artigo em nosso curso Como abrir seu próprio negócio que desempenhará tal papel.

Exercício

Agora que já comentamos a respeito dos oito elementos presentes no Triângulo B-I, está na hora de alguma atividade a fim de fixar o que aprendemos, não é mesmo?

No artigo Construindo para o Futuro, nós pedimos que cada qual construísse um Triângulo B-I, isto é, que especificasse a composição / descrição de cada elemento do triângulo para o seu negócio / investimento. Se você já o fez, hora de revisar, se não o fez, está na hora de fazê-lo!

Mesmo que não se sinta em condições de empreender ou investir agora, ao menos planeje e esboce em papel – será uma ótima forma de treinar o que aprendeu. E caso se sinta pronto para começar algo, então este poderá ser um excelente instrumento!

Planeje cada detalhe, começando pela definição de sua missão até os meios de comunicação que serão empregados. Faça este exercício com a mesma seriedade que teria se estivesse criando um negócio com todo o dinheiro economizado por três anos! (se ainda achar pouco, trinta anos!)

Após esse exercício, você deveria estar apto a aplicar o Triângulo B-I. Em caso de dúvidas, comente aqui, estamos aqui para ajudá-lo!

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o curso Educação Financeira]

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *