Amor ao dinheiro é a raiz dos males?

Iniciando agora nossos estudos em torno da obra Conspiracy of the Rich, de Robert Kiyosaki, e nada melhor que começarmos com uma pergunta: é o amor ao dinheiro a raiz de todos os males? Ou será a ignorância em relação ao dinheiro, ao papel que o mesmo possui no mundo, o gerador de tantos males?

Esta é a pergunta que o autor nos expõe na introdução da primeira parte do livro, contestando um ditado antigo, porém equivocado, que aponta o dinheiro como sendo o causador dos problemas.

O dinheiro não pode ser o causador de tantos problemas. Dinheiro nada mais é que uma forma de representar o poder aquisitivo de uma pessoa, a recompensa que a mesma recebeu pelos seus esforços a fim de poder trocar seus serviços prestados por produtos ou outros serviços necessários para o seu bem-estar.

Se o dinheiro fosse extinto, teríamos que agir de forma similar à antiguidade, quando toda a atividade comercial era baseada na troca de mercadorias, o escambo.

O seu chefe o pagaria com um boi por mês, o qual você poderia levar até o mercado e trocar por três galinhas, um porco e mais alguma coisa (não sou bom em “matemática rural” 🙂 ). Isso tudo era tão complicado (como saber quantas galinhas custavam um boi? E quantos porcos custavam um cavalo???) que decidiram adotar algum elemento como padrão nas contas.

Vários foram elementos, sendo o mais conhecido o sal, de onde provém a palavra salário. Mais tarde, acharam por bem cunhar uma moeda própria, que não pudesse ser falsificada (ao menos não facilmente) a fim de tornar ainda mais fácil a negociação. O conceito de dinheiro começava a circular.

Perceberam que, nessa história, o dinheiro apareceu como um meio de ajudar as pessoas em uma tarefa que, sem ele, poderia ser bastante complicada? Consegue encará-lo como o vilão da história? Então por que dizer que o mesmo é a raiz de todos os males?

Com certeza, não pode passar de um equívoco. Mas um equívoco que muitas pessoas (a maioria, posso assim arriscar) continuam a repetir. Mas… por quê?

A teoria da Conspiração dos Ricos

E é aqui que entra a teoria da conspiração dos ricos de Kiyosaki, demonstrando que, para muitos, há mais interesses em ser a população desprovida de conhecimentos quanto à real natureza do dinheiro, do que em ajudar as pessoas a entendê-lo e, assim, dar-lhes a oportunidade de melhorarem suas vidas.

Mal compreendemos o porquê da primeira pergunta de Kiyosaki, já somos bombardeados com a próxima: quem é responsável pela falta de educação financeira – as escolas, os professores ou há uma grande conspiração por trás disso tudo?

Ao que tudo indica, existe sim, uma grande conspiração. Que tal analisarmos tudo o que acontece com uma pessoa de classe média (ou baixa, ou alta, não importa) quando não sabe realmente como lidar com dinheiro?

Por não saber lidar com dinheiro e medo de não ter um futuro estável, a pessoa “entrega” ao governo a responsabilidade de administrar uma parte de seu dinheiro a fim de que possa ter uma aposentadoria. Além disso, por não saber melhor identificar e aproveitar as oportunidades, está sempre seguindo conselhos de consultores especializados ou fazendo cursos que, muitas vezes, não apresentam como intuito a correta instrução e conscientização das pessoas, mas convencê-las da importância de utilizar-se mais e mais de seus serviços.

Essa mesma pessoa é convencida pela mídia, pelo vizinho, pelo seu filho, enfim, por todos ao seu redor de que deveria adquirir e usufruir de mais serviços e produtos – ela merece isso. O que esquecem de lhe dizer é quanto ela terá que pagar por tudo isso. Bem, para o comércio, isso pouco importa, desde que essa pessoa pague em dia suas contas.

Mas quando suas contas são altas, pagá-las em dia deixa de ser uma tarefa fácil e força-o a procurar meios de conseguir crédito e, assim, quitar as dívidas e, se possível, adquirir mais produtos e serviços que tornarão sua vida mais agradável – até o dia em que as contas chegarem em sua casa e perceberem que não há dinheiro para pagá-las, forçando-as a conseguirem mais crédito.

Empréstimos pessoais, cartões de crédito, cheques, consolidação de débito, hipotecas, etc. Para o devedor, um alívio por algum tempo. Para bancos e instituições financeiras, a garantia de que você assinou um acordo de médio ou longo prazo para entregar-lhes parte de seu dinheiro mensalmente por um longo período.

Uma dívida R$ 1000,00 pode facilmente forçá-lo a gastar R$ 2000,00 ou R$ 3000,00 para quitá-la, principalmente quando dividida em vários e vários meses. Quanto mais longo for o prazo para o término da dívida, maior será o montante a ser pago.

A televisão, o rádio, jornal e diversos outros meios de comunicação são mantidos com o dinheiro advindo da venda de publicidades a todas as entidades supracitadas.

Governo, consultores, escolas e cursos, comércio, bancos, os meios de comunicação… Enfim, todos parecem estar envolvidos em um jogo em que quanto menos você souber lidar com dinheiro, mais proveitoso será para eles.

Você pode considerar exagerada ou distorcida a informação que lhe apresento aqui, mas… Em algum ponto eu menti? Não é realmente desta forma que todos eles ganham dinheiro, isto é, ganham dinheiro com o fato de que você não sabe lidar com o seu e parece “precisar de ajuda”?

Livre-se da Matrix

Provavelmente você conhece Matrix, a trilogia de filmes criada pelos irmãos Wachowski que encantou o mundo com uma teoria conspiratória em que homens e máquinas lutam para definir o seu lugar no mundo, tentando subjugar o outro.

Na história Neo, o protagonista, precisa libertar-se da Matrix e seguir o seu destino, algo nada fácil. É bem assim que você deve considerar a importância de escapar da Conspiração dos Ricos: algo nada fácil, para muitos aparentemente impossível, mas que pode garantir-lhe uma independência financeira que você jamais terá se continuar “dançando conforme a música” que eles tocam.

Livrar-se da Matrix, isto é, perceber o que é ilusório e o que é real e fugir da Conspiração (também denominado por Kiyosaki como escapar da “corrida dos ratos”) pode ser algo demorado mas que ao longo do caminho traz seus benefícios e dissabores.

Você deve ser o seu “herói financeiro”

O autor encerra sua introdução apontando o que será tema do capítulo seguinte: pode Obama salvar o mundo?

Bem, como disse, isso é assunto para o próximo capítulo, logo, nosso próximo artigo, mas acredito que já podemos adiantar um pouco nossa discussão sobre isso – não espere pelos outros, você deve ser seu próprio “herói de armadura reluzente”.

Quem espera fica à mercê da vontade dos outros, quem busca, quem tenta por si próprio, não.

Bem, mas por agora, eu quero saber o que você, amigo leitor que está nos acompanhando, achou desta primeira seção do livro. O que você gostou? O que você não gostou? Vamos lá, comente! O amor ao dinheiro pode ser a raiz de todos os males?

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o minicurso Estudando a Conspiração dos Ricos]

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

7 comments

  1. admin says:

    Antes de mais nada, perdoem-me o atraso na publicação deste primeiro artigo. Ontem o dia foi bastante cansativo, bem que tentei escrever todo ele, mas estava realmente difícil e preferi, para não haver detrimento da qualidade do mesmo, deixar para finalizá-lo hoje.

  2. Kharel says:

    Uma visão bem realista do mundo financeiro,
    ao ler lembrei de minha irmã que compra uma roupa nova pelo simples fato de ver outra pessoa com roupa igual.
    “Inacreditável” o fato de ter aprendido isso em novela de TV.

    Gostei do ressalte em relação as “consultorias” financeiras.

  3. admin says:

    Olá Kharel, tudo bem?

    Pois é, infelizmente esta é a realidade vivida ainda pela maioria das pessoas.

    Você pode não acreditar, mas eu mesmo de vez em quando tenho uns surtos, pequenos momentos de depressão por ver que as pessoas se entregam tão facilmente e não conseguem perceber como estão a prejudicar suas vidas, a tornar outros mais ricos e elas mesmas mais pobres!

    Entro em crise porque, como já deve imaginar, ninguém gosta de falar sobre dinheiro e este é um dos meus assuntos favoritos, logo não tenho muitos amigos com quem conversar – um excelente motivo para falar sobre isso em um blog, não? 😉

    Um abraço e até breve!

  4. Cleia Bravim says:

    Os livros de Robert Kiyosaki sao realmente para os que estao dispostos a aumentar o seu entendimento de como o nosso dinheiro circula. Conspiracao dos Ricos eh a historia cronologica de como os bancos e as instituicoes financeiras tem controlado no nosso bolso, nosso salario, nossos juros, nossa taxa de emprego e desemprego e de como as instituicoes eduativas estao cegamente servindo de marionetes nas maos dos bancos privados.
    Bom trabalho em expor a Conspiracao dos Ricos.
    Estou cada dia mais investigando essa conspiracao.
    Cleia Bravim

  5. admin says:

    Olá Cleia, tudo bem? Fico feliz que tenha gostado de nossos artigos sobre a obra de Robert Kiyosaki!

    O papel deste autor é, com certeza, demasiadamente importante para todos aqueles que buscam compreender como realmente funciona o sistema financeiro bem como se pode alcançar a independência financeira.

    Sempre que o cito, acrescento também referências para Harv Eker e, quanto a autores brasileiros, cito Gustavo Cerbasi, conseguindo assim três personalidades praticamente opostas quando o assunto é dinheiro mas que, no fim das contas, apresentam seu ponto de vista de forma favorável ao nosso crescimento pessoal e financeiro.

    Um abraço e espero encontrá-la mais vezes por aqui, ok?

  6. Anonimaço says:

    Cara, genial

    Realmente, todos nós estamos env9olvidos nesse jogo, porém, poucos são os que sabem disso, um “segredo aberto”.

  7. admin says:

    Olá amigo anônimo, tudo bem? Fico feliz que tenha gostado deste artigo.

    Como se pode perceber aqui, não é o amor ao dinheiro a raiz de todos os males, pelo contrário, é o pensamento consumista em excesso que nos leva a adquirir mais e mais produtos (sejam eles roupas, alimentos, viagens ou formas de crédito) para tornar nossa vida confortável.

    Quando a pessoa começa a distinguir o que é realmente necessário e o que “pode esperar até conseguir o dinheiro”, a pessoa consegue livrar-se de inúmeros problemas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *