A importância do controle financeiro

O controle financeiro trata-se de um poderoso instrumento, importante para quem busca uma adequada educação financeira, ao passo em que permite pôr em prática e analisar tudo aquilo que foi previsto e projetado no planejamento financeiro.

Controle financeiro é o conjunto de medidas que você toma ao longo do tempo a fim de controlar e analisar todo o seu “fluxo de caixa”, quer seja pessoa física ou jurídica. Em outras palavras: trata-se de um instrumento para análise e correção de todas as atitudes que levam à entrada e saída de dinheiro, desta forma, o controle financeiro quando bem aplicado pode garantir um fluxo de caixa positivo, isto é, não somente ganhar dinheiro mas saber aproveitá-lo corretamente para que o mesmo não seja desperdiçado.

É interessante que este é mais um daqueles assuntos que todo mundo olha e diz “ah, mas isso eu já sabia!”. Bem, se já sabe, por que não está realmente a pôr em prática? Não adianta saber algo sobre dinheiro se sua conta bancária mostra o contrário – quem sabe de verdade põe em prática! 😉

Antes de falarmos sobre alguns bons princípios para o controle financeiro, que tal apontarmos alguns mitos sobre o mesmo?

  • Controle financeiro é fácil, eu já faço isso no meu dia-a-dia! – Na verdade, uma rápida análise mostra que a maioria das pessoas apresentam problemas financeiros, não importando se são de classe média, alta ou baixa. Isto aponta então a falha no controle financeiro. O que essas pessoas fazem no seu dia-a-dia, então, não é controlar, mas sim, apagar incêndios, isto é, em vez de analisar a situação antes que a mesma aconteça para que possam melhor preparar-se ou prevenir, elas deixam que aconteçam para que, quando já é inevitável ter que fazer algo, passar a agir, o que não é uma boa escolha, pois nesses momentos as opções são poucas e geralmente causam maiores danos à sua saúde financeira do que aquelas que você poderia ter tomado se estivesse realmente controlando tudo;
  • Controle financeiro é chato, pois só diz que não posso gastar meu dinheiro! – O objetivo do controle financeiro não é impedi-lo de gastar seu dinheiro, mas sim, ajudá-lo a compreender como pode melhor empregá-lo a fim de que o mesmo trabalhe ao seu favor. Exemplo: entre um tênis de marca muito caro e um livro de mesmo valor mas importante para a sua formação educacional e profissional, um bom controle financeiro deveria indicar-lhe que o emprego do dinheiro na segunda opção será muito mais eficaz, já que você estará investindo em si mesmo. Da mesma forma, se você nem mesmo possui verba disponível para a aquisição de nenhum dos dois, é isso que um bom controle financeiro lhe dirá: não adquira nada. E é neste ponto que algumas pessoas ficam chateadas e passam a ignorar o controle, pois acreditam que basta usar o “mágico” cartão de crédito, aliado ao super “cheque especial” e tudo estará resolvido, esquecendo-se que terá que pagar em breve o valor do “mágico” mais custos de operação;
  • Eu nunca pago o valor mínimo do meu cartão, para que controle financeiro? – Aqui está mais uma afirmação não muito inteligente – acreditar que as coisas já estão boas, quando na verdade ainda há muito a melhorar. Conheço pessoas que vivem segundo a filosofia “consegui pagar as contas do último mês, isso é o que importa”. O que elas não percebem é que, com algum controle financeiro, podem reduzir as contas, passar a pagá-las no próprio mês (não mais ficando “contas para o mês seguinte”) e começar a acumular recursos que poderão ser traduzidos em benefícios futuros!

Bem, vou agora demonstrar um exemplo do que você pode conseguir com um bom controle financeiro…

Como o controle financeiro pode economizar “o dinheiro de uma vida toda”…

Outro dia eu publiquei o artigo Quando e por que eu decidi ganhar dinheiro, onde conto um pouco do caminho que segui até começar a mudar a minha visão sobre o dinheiro. Quem leu o texto, deve ter percebido que começar a controlar o meu dinheiro foi excelente para mim, pois consegui reduzir o custo de muitas coisas, inclusive pagando todo o valor de meu apartamento, e ainda dar-me o luxo de começar a planejar meu futuro bem como a aproveitar-me do dinheiro agora mesmo, como quando viajei com minha esposa.

Como eu seguia um rigoroso controle financeiro, consegui ir muito além do “economizar um pouco para as férias” e consegui, em pouco tempo, pagar todo o valor do financiamento de meu imóvel! E vocês sabem o que isso significa?

Há famílias que trabalham uma vida toda, apertando o seu orçamento para ir pagando as prestações ao longo da vida. Quem já teve a curiosidade de contabilizar o valor de todas as prestações sabem que o valor total pode chegar a ser mais que o triplo do valor financiado!

Desta forma, quando apliquei corretamente o controle financeiro a fim de conseguir quitar meu financiamento em cerca de dois anos, eu não estava somente pagando adiantado: pagava somente o valor incial financiado, deixando de pagar todos esses juros que, somados, dariam mais de R$ 120.000,00 (no meu caso)! Como eu disse, “o dinheiro de uma vida toda”, já que muitas vezes é difícil quitar o financiamento de forma realmente antecipada, já que há outros custos no dia-a-dia.

Agora eu lhe pergunto: foi útil eu ter ido além do “estar com as contas em dia”? Você não acha que isso também pode ser útil a você? Já imaginou comprar um carro e não precisar financiá-lo? Reformar sua casa e não acabar endividado? O controle financeiro está aqui justamente para isso!

Para mim, o próximo passo agora é atingir a independência financeira. Sim, já está incluso em meu planejamento e me controlo para isso. 😉

Dicas para um bom controle financeiro

  • “Regra dos 10% a menos” – todos nós temos gastos e é impossível simplesmente eliminá-los de uma vez só. Que tal, então, nós irmos reduzindo eles gradativamente? Que tal controlar-se para gastar este mês 10% a menos que no mês anterior? Perceba que este não é um valor tão alto (se você gastou R$ 1.000,00 mês passado, deve controlar-se para gastar no máximo R$ 900,00 neste), entretanto, quanto mais o tempo for passando, mais enxutos estarão os seus gastos – e você não terá se sacrificado tanto, já que você progrediu um passo de cada vez. Se você acreditar que pode economizar mais, experimente reduzir 15% ou 20%, mas o importante é manter a frequência do valor (não adianta economizar 20% neste mês e no próximo gastar o mesmo que gastava antes!), assim você irá criando o hábito de sempre preocupar-se com o quanto está gastando;
  • Anote todos os seus gastos – se você leu nosso artigo Como sair do vermelho e ainda ganhar dinheiro? deve estar lembrado da importância que atribuímos a tomar nota de tudo com o que você gasta, assim você saberá realmente para onde o seu dinheiro vai. Aliás, aconselho a releitura do mesmo, pois ele traz muitas informações importantes para o controle financeiro!
  • Saiba usar corretamente o cartão de crédito e o cheque especial! – No Giga Mundo, publicamos o artigo Quando e como usar o cartão de crédito?, onde passamos todas as dicas sobre como se deve lidar com um cartão de crédito. A premissa básica é: use o cartão de crédito para pagar aquilo que você terá dinheiro em breve, não para comprar aquilo que você nem mesmo tem dinheiro! Isto é, se você recebe R$ 1.000,00 todo mês e de repente quer usar o cartão de crédito para comprar um pouco mais e gastar até R$ 1.300,00, estará cometendo um grande erro, pois no mês seguinte você terá as mesmas contas que antes mais os R$ 300,00 que você não conseguiu pagar no mês anterior, uma verdadeira bola de neve!
  • Na hora de comprar, prefira “à vista” e saiba negociar – é incrível que as pessoas parecem ter vergonha na hora de negociar o preço de algo à vista, como se estivessem pedindo um favor, mas sabem usar muito bem o cartão de crédito, que é o mesmo que pedir um empréstimo! Negocie o melhor preço. Não está contente? Procure outro vendedor! Escolha sempre o melhor preço e pague à vista, evitando deixar qualquer conta pendente para o mês seguinte;
  • Saiba ter disciplina – há dois tipos de “indisciplinados”: aqueles que não conseguem manter-se no controle das coisas e acaba desistindo e aqueles que ao ver os primeiros resultados positivos tornam-se tão eufóricos que “saem para comemorar”, desperdiçando então tudo aquilo que conquistou ao longo de meses. E minha opinião, ambos os tipos são igualmente prejudiciais, pois no fim das contas o controle foi ineficiente. Mantenha então a disciplina, independente de estar conseguindo excelentes resultados ou até mesmo de não estar vendo nenhum! Não se preocupe que, quando a coisa engrenar, os resultados aparecerão e, se o controle financeiro for levado a sério, serão duradouros!
  • Use as ferramentas certas para planejamento e controle financeiro – há várias ferramentas disponíveis, muitas publicadas aqui na Internet, que você pode empregar a seu favor para controlar melhor seus gastos. No Giga Mundo, por exemplo, nós publicamos o artigo Planejamento Financeiro 2009, onde divulgamos uma planilha (bem como a forma de usá-la) para controle e planejamento financeiro. Ramon Wadry, da Tech now Press, testou e indicou-me o uso do FinanceDesktop – software de  finanças pessoais (Update: infelizmente, o artigo e o blog não existem mais). Ainda não o testei, mas já li o seu artigo sobre a ferramenta, gostei e baixei a mesma. 🙂

Bem, com estas seis dicas, eu espero que todos estejam aptos a rever a forma como lidam com o dinheiro, planejar melhor sua educação financeira e, acima de tudo, iniciar já o seu controle financeiro!

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *